Conheça dez livrarias de rua em um Brasil que lê cada vez menos

Durante a pandemia, lojas em SP atendem clientes pela janela e funcionam com horários agendados

SÃO PAULO

O Brasil lê cada vez menos. A redução no número de leitores foi apontada na última pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, iniciativa do Instituto Pró-Livro e do Itaú Cultural. Segundo os dados divulgados, o número de leitores –pessoas que leram um livro inteiro ou em partes nos últimos três meses– caiu de 56% para 52% desde a última edição, publicada em 2015.

Na contramão das estatísticas, São Paulo tem uma série de livrarias de rua que já podem ser visitadas.

Com a reabertura dos espaços comerciais e retomada das atividades, selecionamos abaixo dez espaços na capital paulista que se adaptaram aos protocolos de segurança para voltarem a funcionar —seja atendendo clientes pela janela, seja com agendamento de horário. Antes de fazer uma visita, ligue para se certificar do horário de funcionamento.

E podem vir outras livrarias por aí. No Copan, a Megafauna teve a reabertura atrasada por causa da pandemia, mas deve abrir suas portas em novembro. O bairro de Santa Cecília, que já conta com a Banca Tatuí e a Sala Tatuí, também vai ganhar um novo espaço em breve: a Livraria Gráfica.

Travessa abre a primeira loja de rua da rede em São Paulo – Danilo Verpa/Folhapress

Livraria Martins Fontes Paulista
Localizada no interior de uma galeria comercial, já está aberta ao público e permite acesso à loja e ao café, que atende a um número limitado de mesas. Os protocolos incluem obrigatoriedade do uso de máscaras, pontos com álcool em gel no interior da loja e higienização frequente do espaço.
Av. Paulista, 509, Bela Vista, região central, tel. (11) 2167-9900.


Livraria Simples
A casinha colorida que abriga a livraria está com as portas fechadas, mas mantém uma janela aberta para atender ao público —que não pode acessar o interior do espaço ainda. Seguindo medidas preventivas e de higienização, o atendimento é individual, de segunda a sábado, das 10h às 18h.
R. Rocha, 259 – Bela Vista, região central, tel. (11) 3443-9992.


Livraria da Travessa
Reaberta com uma limitação de 15 clientes por vez, a loja na rua dos Pinheiros adota procedimentos como a obrigatoriedade do uso de máscaras, disponibilização de álcool em gel, higienização e recomendações de distanciamento físico.
R. dos Pinheiros, 513, Pinheiros, região oeste, tel. (11) 4550-9501.


Loplop
Desde o início da pandemia, a livraria funciona com as portas fechadas. Com a gradual reabertura, passou a receber clientes com horário marcado, por telefone ou Instagram @loploplivros, e a fazer entregas para a região oeste (consulte a disponibilidade).
Av. Professor Alfonso Bovero, 1.119, Perdizes, região oeste, tel. (11) 3862-7268.


Mandarina
A casa amarela recebe o público com uso obrigatório de máscaras e disponibiliza álcool em gel. O número de clientes é limitado a quatro por sala. A área do café, aberta e ventilada, também já voltou a funcionar.
R. Ferreira de Araújo, 373, Pinheiros, região oeste, tel. (11) 3819-5953.

Espaço da Livraria Mandarina, em Pinheiros – Folhapress

Novesete
Dedicada ao público infantil, a livraria abandonou o atendimento com agendamento de horário e passou a receber clientes das 11h às 17h. Atividades como contação de histórias e lançamento de livros, porém, continuam suspensos. O uso de máscara é obrigatório e há tótens de álcool em gel em pontos da loja. É possível fazer pedidos para entrega por aplicativos como o Rappi.
R. França Pinto, 97, Vila Mariana, região sul, tel. (11) 5573-7889.


PanaPaná
Também dedicada aos leitores mais novos, a loja está aberta e adota os protocolos definidos pela prefeitura. Para quem não quiser ir ao local, é possível fazer compras pelo WhatsApp (11) 94536-4921 e pelo site livrariapanapana.com.br, com entrega gratuita para um raio de até 10 km. Para as crianças, há uma mesa com materiais para recreação, frequentemente higienizados, e contação de histórias no instagram @panapana_livraria_infantil.
R. Leandro Dupret, 396, Vila Clementino, região sul, tel. (11) 94536-4921


Patuscada
Conhecida por sediar eventos e lançamento de livros, a livraria e espaço cultural está fechada ao público —mas passou a fazer os lançamentos online. Quem não resiste à visita presencial pode agendar um horário por telefone para ser recebido no local.
R. Luís Murat, 40, Vila Madalena, região oeste, tel. (11) 96548-0190


Banca Tatuí
Todo o acervo da minilivraria de rua, fechada desde março, migrou para o espaço irmão: a Sala Tatuí, no prédio em frente à Banca, que recebe clientes com horário marcado no site salatatui.com.br. A limitação é de três visitantes por vez e segue os protocolo de segurança. Além disso, todo o conteúdo da loja está disponível para entrega no site bancatatui.com.br.
Sala Tatuí. R. Barão de Tatuí, 302, Santa Cecília, região central, tel. (11) 2729-8952.

Sala Tatuí, livraria na região central
Sala Tatuí, livraria na região central – Divulgação

Zaccara
Com 38 anos de funcionamento, a livraria opera com uma mesa impedindo a entrada do público. Os clientes são atendidos na porta com respeito aos protocolos de segurança, como a higienização dos produtos e a obrigatoriedade de uso de máscaras. É possível combinar a retirada de pedidos por telefone.
R. Cardoso de Almeida, 1.356, Perdizes, região oeste, tel. (11) 3384-0908.

Disponível em: https://guia.folha.uol.com.br/passeios/2020/09/conheca-dez-livrarias-de-rua-em-um-brasil-que-le-cada-vez-menos.shtml. Acesso em: 16 set. 2020.

Deixe uma resposta