Projeto REALM libera resultados de testes de vírus em materiais em diferentes temperaturas

A pesquisa produz informações baseadas na ciência para ajudar a mitigar a exposição ao coronavírus em arquivos, bibliotecas e museus

1589472597842
Fonte: OCLC

DUBLIN, Ohio, 11 de fevereiro de 2021 —O projeto REALM divulgou resultados de duas rodadas de testes científicos para determinar por quanto tempo o vírus SARS-CoV-2 que causa a COVID-19 pode permanecer em materiais encontrados em arquivos, bibliotecas e museus em temperaturas mais frias e mais quentes do que os testes anteriores.

Para as duas últimas rodadas de teste, Testes 7 e 8, os materiais foram mantidos em temperaturas mais frias (34 a 36 ° F; 1 a 4 ° C) e mais quentes (83 a 84 ° F; 28 a 29 ° C). Os testes 1 a 6 mediram o tempo de atenuação do vírus virulento SARS-CoV-2 aplicado a materiais mantidos em temperatura ambiente (68 a 75 ° F; 20 a 24 ° C).

Os testes 7 e 8 examinaram uma capa de livro de capa dura, uma capa de livro de capa mole, uma capa protetora de plástico e espuma de polietileno expandida. Amostras de cada material foram inoculadas com vírus ativo, deixadas secar e colocadas em uma câmara com ambiente controlado, sem luz ou ar externo.

Os resultados mostram que as taxas de atenuação para materiais mantidos na temperatura mais fria foram significativamente mais lentas em comparação com as temperaturas mais quentes e ambientais, com níveis detectáveis ​​de vírus ativo ainda presentes no dia 10. Em contraste, nas temperaturas mais altas, o vírus não foi detectado em todos os materiais exceto a capa protetora de plástico no dia 6; este foi um tempo de atenuação ligeiramente mais rápido do que o que ocorreu à temperatura ambiente. (Veja os resultados do Teste 7 e 8.)

Esses dados sugerem que considerações adicionais podem precisar ser avaliadas em relação às caixas de coleta ao ar livre ou armazenamento em condições mais frias. Para instituições que usam períodos de quarentena, esta pesquisa pode impactar quando iniciar o “relógio” de quarentena, uma vez que um material é levado para um ambiente controlado. Os dados também sugerem que, quando possível, o armazenamento em áreas mais quentes pode ajudar a diminuir a duração da quarentena.


O trecho acima é uma tradução livre de parte do artigo REALM project releases results from tests of virus on materials at different temperatures, publicado pela OCLC.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: