Inscreva-se no ciclo de debate da Retratos da Leitura no Brasil

A quinta edição da Retratos da Leitura no Brasil promove nos dias 22 e 29 de setembro e 6 e 13 de outubro, sempre às 17h, debates para aprofundar temas extraídos dos dados da pesquisa, que apresenta um panorama das práticas de leitura no país. As inscrições para este ciclo estarão abertas a partir das 20h30 desta segunda, 14 de setembro, após a apresentação ao vivo da pesquisa.

Os quatro painéis são: O comportamento leitor dos brasileirosBibliotecas – percepções e avaliaçãoO perfil, as leituras de literatura e os consumidores de livros; e Leituras em outros suportes e leitores mutantes. Na aba Programação, veja detalhes de cada mesa e os participantes – entre pesquisadores, professores e profissionais do livro.

Para se inscrever, clique nos links no parágrafo acima ou nos descritivos de cada mesa. 

Lançada na segunda 14 de setembro, a nova Retratos atualiza a série histórica e inova abordagens: o painel foi ampliado com enfoque por capitais, perfil do leitor de literatura e perspectivas sobre leitura digital. Acesse aqui o relatório da quinta edição.

Ciclo de Debates
terças 22 e 29 de setembro e 6 e 13 de outubro
às 17h

Disponível em: https://www.itaucultural.org.br/secoes/formacao/inscreva-ciclo-debate-retratos-leitura-brasil. Acesso em: 15 set. 2020.

Entrevista com Érica Vitorini, do canal Histórias para contar

O Mundo Bibliotecário entrevistou Érica Fernanda Vitorini, bibliotecária e estudante de pedagogia.

A Érica criou o canal Histórias para contar e contou para a gente um pouco sobre ele.

Assista a entrevista e inscreva-se no Histórias para contar! Toda semana tem um vídeo novo!

Crédito: Érica Fernanda Vitorini

Projeto da Biblioteca Municipal de Juiz de Fora incentiva a leitura no ambiente virtual

Mensalmente, o projeto ‘Da Estante’ lançará vídeos com a leitura e análise crítica de uma obra literária. O primeiro episódio será liberado neste sábado (11).

Projeto da Biblioteca Municipal de Juiz de Fora incentiva a leitura no ambiente virtual — Foto: MG1/Reprodução
Projeto da Biblioteca Municipal de Juiz de Fora incentiva a leitura no ambiente virtual — Foto: MG1/Reprodução

A fim de criar uma nova alternativa de entretenimento durante o período de isolamento social, a Biblioteca Municipal Murilo Mendes, em Juiz de Fora, lança projeto de leitura por meio das redes sociais.

O projeto “Da Estante” terá vídeos gravados na biblioteca, com a jornalista Thaís Pifano, uma das idealizadoras da iniciativa, lendo o livro escolhido e realizando uma análise crítica do mesmo.

Os vídeos serão disponibilizados sempre no segundo sábado de cada mês, no Instagram da instituição. Segundo a jornalista, a quantidade de vídeos pode aumentar de acordo com a demanda.

“Escolhemos obras focadas no público jovem e adulto, priorizando histórias mais curtas. No caso de livros mais densos, trabalharemos a leitura de capítulos ou análises críticas do texto, enfatizando a relevância da obra no contexto atual”, explicou Pifano.

Segundo a jornalista, o projeto busca inserir a leitura como atividade prazerosa e informativa no ambiente doméstico, durante a quarentena.

“É alternativa de lazer cultural para ser usufruída individualmente ou em família”, destacou.

Os livros são escolhidos pela equipe do projeto, mas sugestões do público são bem-vindas.

O primeiro episódio do projeto “Da Estante” vai ao ar neste sábado (11) e o título escolhido foi “Era uma vez um Tirano”, de Ana Maria Machado, publicado pela Editora Salamandra.

Disponível em: https://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2020/07/10/projeto-da-biblioteca-municipal-de-juiz-de-fora-incentiva-a-leitura-no-ambiente-virtual.ghtml. Acesso em: 11 jul. 2020.

Itaú Social oferta curso EAD de infâncias e leituras

Crédito: divulgação

Curso gratuito possui 20 horas de formação com certificado

O polo de desenvolvimento educacional, Itaú Social, está ofertando o curso EAD de Infâncias e Leituras, que tem como objetivo incentivar as práticas de leitura do adulto para com a criança, fortalecendo a participação dos pais na educação dos filhos desde a infância.

O curso tem 20 horas de duração e está dividido nos seguintes módulos; Leitores e Leituras; Arte e palavra na primeira infância; O papel dos mediadores: pontes entre livros e leitura; Construindo uma biblioteca para a primeira infância. O público-alvo do curso são professores, gestores, equipes pedagógicas e demais interessados na área.

Para mais informações, acesse: itau.com.br/crianca

Disponível em: https://crb6.org.br/artigos-materias-e-entrevistas/itau-social-oferta-curso-ead-de-infancias-e-leituras/. Acesso em: 8 jun. 2020.

Biblioteca promove concurso para sortear livros e incentivar leitura durante a quarentena, em RO

Iniciativa de Ariquemes pretende incentivar a leitura e promover interação entre os leitores da cidade, durante período de isolamento social.

Biblioteca de Ariquemes — Foto: Prefeitura/Divulgação
Biblioteca de Ariquemes — Foto: Prefeitura/Divulgação

Por conta das medidas de prevenção contra o novo coronavírus em Ariquemes (RO), a biblioteca Pedro Tavares Batalha também precisou interromper temporariamente o funcionamento para seguir as medidas de isolamento social, recomendadas pelo Ministério da Saúde.

Com as pessoas em casa e com mais tempo livre, a direção da biblioteca do município decidiu promover um concurso para incentivar os leitores, através do projeto “Leitura à sua imagem”.

Para participar, os interessados devem além de gostar de leitura, mostrar criatividade. O morador de Ariquemes deverá tirar uma foto com o telefone celular, que combine a capa do livro e com os seus aspectos físicos (veja sugestões de fotos no modelo abaixo).

Campanha incentiva leitura em Ariquemes — Foto: Divulgação
Campanha incentiva leitura em Ariquemes — Foto: Divulgação

Depois é só postar nas redes sociais, marcar a página da biblioteca municipal com as hashtags do concurso e, pronto. As três fotos mais curtidas ganharão kits de livros. As postagens devem ser feitas até 15 de abril.

A bibliotecária Cintia de Jesus conta que o concurso foi inspirado em uma biblioteca do estado do Espirito Santo, e o objetivo é que as pessoas encontrem na leitura uma maneira de aliviar o estresse provocado pelo período de isolamento social.

“ Ver o quanto podemos aprender e nos divertir em casa com nossos livros favoritos, e com isso formar mais leitores e reformar, aos que já são leitores, o hábito de ler como lazer”, comentou.

Os vencedores terão os nomes e fotos publicadas nas redes sociais da biblioteca, após o término do concurso.

Disponível em: https://g1.globo.com/ro/rondonia/noticia/2020/04/03/biblioteca-promove-concurso-para-sortear-livros-e-incentivar-leitura-durante-a-quarentena-em-ro.ghtml. Acesso em: 11 abr. 2020.

Biblioteca faz campanha nas redes sociais para estimular o hábito da leitura

Nova identidade visual e comunicação interativa são as estratégias da BNB para atrair o público na internet

A BNB investe em campanha para estimular as pessoas a lerem mais | Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

Compartilhar dicas de livros com conhecidos e desconhecidos como forma de estimular o hábito da leitura entre os brasileiros é a proposta do projeto “O que você está lendo?”, que a Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) lança no sábado (4).

Ler mais

Alunos da FCE vencem maratona de criação de startups

Guilherme Takeshi e Otávio Soares compuseram grupo que idealizou a rede social ‘TalkBook’

 31/10/2019 por: ACI Local | Daniel Manzano

Grupo vencedor da competição, com alunos Guilherme (nos braços dos colegas) e Otávio (segundo, em pé)
Imagem: AI/Inova Prudente

De 18 a 20 de outubro ocorreu em Presidente Prudente a quinta edição da Startup Weekend, organizada pela Inova Prudente em parceria com a Google for Startups. tendo a Educação como tema principal. O evento apresentou a proposta de incentivar os participantes a desenvolverem e validarem uma ideia de startup a partir de um problema por eles identificado.

O evento foi realizado em um local com design semelhante ao ambiente de uma Startup, com a participação de mentores que auxiliaram e incentivaram na elaboração das atividades, no qual os participantes foram expostos a todos os tipos de situações durante as 56 horas do evento. Neste prazo curto, os participantes foram estimulados a desenvolver suas competências na área da criatividade, liderança e gestão do tempo, além de forçá-los a “quebrar a cabeça” de forma a pensar “fora da caixinha”, como relatam os discentes.

Neste evento, marcaram presença os alunos do quarto termo de administração, Guilherme Takeshi Mandai e Otávio Augusto Soares Silva. Estes, junto ao seu grupo, desenvolveram a ideia de uma rede social que permite a conexão entre leitores de livros, além de permitir a venda ou troca de livros usados. A Startup TalkBook, assim batizada por eles, levou o prêmio de primeiro lugar e com isso, conquistaram também o apoio de mentores, investidores e participações em cursos para darem continuidade ao projeto, que será apresentado à Prefeitura de Presidente Prudente.

Otávio relata que o grupo foi formado dentro do próprio evento: “Primeiro, foram votadas 15 de 54 ideias de startups apresentadas, então, os participantes interessados em cada uma foram se aglomerando próximo ao idealizador, – no caso da TalkBook foi o Guilherme – , formando equipes de 7 pessoas cada.”

Para Guilherme, essa experiência o fez ter mais autoconfiança em suas ideias, além de desenvolver em muito sua forma de pensar e ver a realidade ao seu redor. Já Otávio, ressalta a importância do evento em sua vida, pois ao ter sido submetido a um ambiente com alta pressão, percebeu a forma como de fato as pessoas agem e como deveriam agir, além de permitir o contato com pessoas de diversas aptidões somadas às suas cargas de experiências.

Como conclusão, Otávio comenta: “Foi muito importante esse evento em nossas vidas, e acreditamos que todos devem ter a oportunidade de vivenciar isso”. Guilherme complementa: “Nós ainda somos alunos do quarto termo e olha o que conseguimos alcançar. Acreditamos que todos têm um potencial incrível e que vocês devem correr atrás e usar esse potencial. Essa é a mensagem que deixamos a todos, vocês são capazes, basta correr atrás”.

Disponível em: https://www.tupa.unesp.br/?fbclid=IwAR0L38L-ZIMQ_XbdVVq_Rd4UUdAwXbYraqUpDJqY5BdnReFPuLg4cBP5r30#!/noticia/590/alunos-da-fce-vencem-maratona-de-criacao-de-startups/. Acesso em: 4 nov. 2019.

Fast food em São Francisco pagará 50 reais por hora para equipe ler livros

Lembra daquela história de que os robôs irão tomar empregos, especialmente os mais operacionais? Na Creator, uma hamburgueria de São Francisco (Estados Unidos), o conto virou parcialmente realidade. Um robô de mais de quatro metros usa sua inteligência para produzir 120 sanduíches por hora. Mas isso não significou o fim dos empregos humanos. Pelo contrário: agora, os funcionários recebem também para fazer cursos online e lerem livros educativos.

Nem sempre Alex Vardakostas, criador da hamburgueria, teve esse plano. Inclusive, no longínquo ano de 2012, quando o negócio ainda se chamava Momentum Machines, ele afirmou que “[nosso equipamento] deve servir para remover os funcionários completamente”, de acordo com o Business Insider.

Após oito a nove anos de desenvolvimento e muitas especulações sobre o fim do trabalho para adolescentes, a Creator abriu suas portas há um mês, com um posicionamento bem mais no estilo do Vale do Silício. “A ideia de não ter de falar com ninguém me parece distópica”, corrigiu-se Vardakostas para a Forbes. “Estamos em um ponto no qual realmente acreditamos que você não pode automatizar a criatividade e a interação social humanas.”

As duas máquinas, com produção total de 240 hambúrgueres por hora, focarão em processos que os humanos não poderiam fazer melhor. Por exemplo, eles usam sensores para determinar a temperatura ideal para cada hambúrguer; fazem um processo de moeção difícil de reproduzir apenas com as mãos humanas; e conseguem cortar vegetais milimetricamente.

A máquina-chef da hamburgueria Creator, de São Francisco (Creator/Divulgação)

Enquanto isso, os funcionários devem se concentrar em tarefas mais complexas, como ajudar o cliente na hora de pensar no pedido ideal. Os benefícios aos funcionários estão mais para Google do que para fast food: cursos grátis na plataforma online Coursera e 5% da jornada de trabalho dedicada à leitura de livros educacionais, que podem ser colocados na própria lanchonete da Creator.

O salário dos funcionários é de 16 dólares por hora (na cotação atual, cerca de 50 reais). Mas Steve Frehn, cofundador da Creator, afirma que alguns funcionários podem aproveitar oportunidades de trabalho a partir do seus convívios com as máquinas-chefs. “Neste momento, se você está se candidatando a um curso superior, você pode não colocar seu trabalho em um restaurante de hambúrgueres no currículo. Mas seria bem legal colocar que você trabalhou na Creator, e é assim que nós sabemos que fizemos um bom plano de carreira”, completa Vardakostas.

Espaço da hamburgueria Creator, com livros nas prateleiras (Creator/Divulgação)v

Com menos gastos na produção dos hambúrgueres e com aluguéis de espaços grandes para a cozinha, a Creator consegue cobrar seis dólares por seus hambúrgueres, em linha com o cobrado na gigante McDonald’s. Cerca de 40% dos custos da Creator vai para os ingredientes, incluindo iguarias como a ameixa japonesa umeboshi e o molho francês aioli feito com ostras defumadas. Com ingredientes gourmet e atendentes intelectuais, a Creator alcança o feito de concorrer, ao mesmo tempo, como hamburgueria mais tecnológica e mais hipster de São Francisco.

*Por Mariana Fonseca para Exame.com.

Disponível em: <https://startupi.com.br/2018/07/fast-food-em-sao-francisco-pagara-50-reais-por-hora-para-equipe-ler-livros/>. Acesso em: 7 ago. 2018.

Especialistas discutem a importância da leitura na sociedade

Livro e leitura no Brasil foi o tema do programa “Diálogos na USP”, da Rádio USP, nesta sexta-feira, dia 3

O programa Diálogos na USP – Os Temas da Atualidade, transmitido ao vivo pela Rádio USP (93,7 MHz) no dia 3 de agosto de 2018, abordou a importância da Bienal Internacional do Livro – que se realiza em São Paulo de 3 a 12 de agosto – para a promoção da leitura no Brasil. Outro tema discutido no programa foi a Política Nacional de Leitura e Escrita, instituída pelo governo federal em julho passado.

Ler mais

Conheça a biblioterapia e como a leitura pode combater a ansiedade

Muitos recorrem à leitura para desligar-se do mundo real e conhecer outros universos, mas o que a maioria dos “devoradores de livros” não sabe, é que a função da leitura vai muito além do deleite pessoal. Isso porque, hoje em dia, a prática literária já é utilizada no tratamento de problemas psicológicos. A origem dessa técnica, ainda pouco difundida no Brasil, é histórica. “Os egípcios, gregos e romanos já compreendiam a leitura como um remédio eficaz para o tratamento das dores da alma. Em 1272, os hospitais orientavam a seus pacientes a leitura do alcorão. E mesmo posteriormente, durante a Primeira Guerra Mundial, a biblioterapia ajudou a amenizar os traumas sofridos pelos soldados que participaram do confronto”, explica a biblioteconomista Isabel Cristina Venere, de 47 anos, que defendeu tese sobre o assunto.

A ampliação da percepção e da sensação de independência e a redução de medos e ansiedades são apenas alguns dos benefícios proporcionados pela biblioterapia. “A leitura age no equilíbrio emocional dos indivíduos, levando-os ao relaxamento extremo e estimulando a memória, sem falar que sua prática proporciona benefícios a todas as faixas etárias”, reitera a especialista.

A coordenadora de eventos, Regiane Rodrigues Rossini, de 46 anos, começou a ler frequentemente ainda jovem e logo descobriu o potencial terapêutico da leitura.
“Em agosto de 2012 sofri um derrame pulmonar e fiquei sem poder andar muito por algum tempo. Nesse período, como não podia fazer exercícios físicos, comecei a participar de um clube de leitura. Além de fazer novas amizades, o clube ampliou meus horizontes literários e, aos poucos, fui voltando às minhas atividades normais”, afirma, ressaltando o quão prazerosa pode ser a prática.

Efeitos
Os efeitos da biblioterapia se devem à imersão proporcionada pela literatura. “O ser humano acaba tendo um envolvimento emocional com o texto, aplicando o que lê a sua própria vida, é uma espécie de catarse literária”, acrescenta a biblioteconomista. Mas o simples ato de ler não corresponde à pratica da biblioterapia. “É algo bem mais complexo, uma vez que o material utilizado sempre é escolhido por uma equipe de profissionais, que estudam a situação de cada paciente”, frisa Isabel.

Ainda que sua eficácia seja comprovada, a biblioterapia não substitui nenhum tratamento médico. De acordo com o psicólogo Jefferson Willian Bucci, a biblioterapia é uma prática auxiliar. “Não se trata de uma prática psicológica, mas sim de uma terapia complementar, que pode auxiliar na solução dos problema da mesma forma que a prática de esportes, ou a acupuntura, por exemplo, portanto, não dispensa outros tratamentos de forma alguma”, esclarece.

A coordenadora de eventos Regiane Rossini conta que superou problemas pessoais com a prática da leitura (Foto: Rui Carlos)

A coordenadora de eventos Regiane Rossini conta que superou problemas pessoais com a prática da leitura (Foto: Rui Carlos)

Fonte: Portal Jornal Jundiaí

Disponível em: <http://www.crb8.org.br/conheca-a-biblioterapia-e-como-a-leitura-pode-combater-a-ansiedade/>. Acesso em: 18 jun. 2018.