Bibliotecas em quarentena

Confira 40 ideias para enfrentar o confinamento de uma biblioteca e permanecer relevante para a comunidade

01 Aumentar o alcance do WiFi e empréstimo de modems.

02 Levar a biblioteca para a rua. Compartilhe espaços públicos com terraços, coloque tomadas e estantes na entrada com recursos no estilo de “bibliotecas confiáveis”.

03 Apoiar bancos de alimentos e oferecer empréstimo de livros ou outros materiais, bem como serviços para a comunidade em coordenação com o Serviço Social.

04 Pedagogia do livro digital. Realize oficinas para a comunidade, com ênfase nos idosos.

05 Fornecer audiolivros para enfermos e idosos. Aumente este recurso agora mais do que nunca.

Fonte: La Vanguardia

06 Oferta de papel e impressoras 3D. Contate universidades ou centros de pesquisa para colaborar. Ajuda com procedimentos burocráticos relacionados à Covid-19.

07 Restabeleça o empréstimo entre bibliotecas.

08 Converse com as escolas da região. Empreste espaços digitais. Também empreste PCs e laptops.

09 Crie e compartilhe tutoriais / cursos personalizados. Como fazer chamadas de vídeo, aplicativos, segurança digital, edição de vídeo.

10 Crie uma sala de estudo virtual. Por que não criar um para estudar, com fóruns, técnicas de estudo, uma forma de incentivar todas essas pessoas?

11 Canal no YouTube. Crie canais temáticos que sirvam de arquivo e para possível reutilização.

12 Reserve o serviço em casa. Crie um serviço de assinatura que envie a você alguns livros por mês, com mensagens da biblioteca incentivando ou oferecendo novos serviços.

13 Serviço telefônico. Aproveite para fazer ligações para idosos ou pessoas sem internet.

14 Serviço de SMS, Telegrama e / ou WhatsApp.

15 Invista em e-mail marketing. Em muitas ocasiões, geralmente é desperdiçado ou usado exclusivamente para dar más notícias, como um empréstimo atrasado.

16 Reveja o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) para comunicar em conformidade com a lei.

17 Campanha de correio. Envie cartas com notícias, folhetos ou coloque um marcador.

18 Apresente os funcionários às suas casas. Aproveitamos a oportunidade para mostrar uma imagem em close da biblioteca e nos conectar com as pessoas que precisam dela.

19 Contate empresas, freelancers e organizações do meio ambiente. Pense em campanhas que podem criar um fluxo de pessoas para as empresas locais.

20 Bibliotecários encarregados da rastreabilidade da pandemia. Nossos governos precisam de pessoal qualificado em sistemas de informação. Como documentaristas e servidores públicos, podemos oferecer nossos serviços: atentos às novas prioridades, com foco nas pessoas.

21 Revise os direitos de propriedade intelectual. Escreva um documento que sirva a outros grupos e bibliotecas para todos os tipos de presença digital.

22 Canal da Biblioteca Covid. Notícias confiáveis ​​sobre saúde e esclarecimento das dúvidas mais comuns.

23 Envolva as pessoas para criar conteúdo sobre o que está acontecendo. Crie quaranzines, podcasts e revistas relacionadas à vida durante a quarentena. Incentive a comunidade a escrever histórias sobre suas experiências.

24 Rede. Vamos criar um Canal de Bibliotecas: uma frente unida para informações práticas sobre bibliotecas.

25 Bibliotecário de autocuidado. Respeitar horários, fazer cafés terapêuticos, cuidar da saúde mental e conciliar em tempos de pandemia e teletrabalho.

Fonte: La Vanguardia

26 O momento ideal para o GLAM (Galerias, Bibliotecas, Arquivos e Museus). Lidere propostas comuns com centros de arte, arquivos e museus próximos.

27 Hora de edição da Wikipedia. Desafios para Bibliowikis ter a coleção local hospedada pela Wikipedia.

28 Horas mais longas. A ideia não é fechar o horário, mas estendê-lo e manter o mínimo de pessoal. Abra todas as caixas de correio nas bibliotecas.

29 Todos iguais, todos diferentes: bibliotecas unidas. Universidade, escola, pública, especializada? Sem a parte física da biblioteca, as oportunidades de colaboração são maiores do que nunca.

30 Apoiando o ecossistema do livro que não teve a Feira do Livro ou Sant Jordi. A biblioteca ajuda você a encontrar o livro que você gostaria de dar ou informa sobre a livraria mais próxima onde você pode encontrá-lo; auxiliar profissionais na leitura de animação; escritores: encontros virtuais, reativando a economia local e cultural.

31 Bibliotecas humanas. Um bom momento para fazer campanhas publicitárias para nossas associações, vizinhos que vêm de outros países, grupos, minorias e heróis do bairro.

32 Focalizando um leitor de biblio de outono. Devemos fazer uma super campanha de leitura para os mais pequenos. Este curso: Bibliotecas que lideram a mudança.

33 Um pouco de épico. De onde viemos? Faça uma declaração pública sobre nossa visão para a biblioteca e o que ela pode trazer para nossa comunidade.

34 Voluntariado, agora mais do que nunca. Os jovens foram os primeiros a se oferecer, vamos nos juntar a eles e não os deixemos escapar das bibliotecas.

35 A biblioteca não é um campo minado. Vamos definir um protocolo de segurança ideal para usuários e funcionários, sem regras desnecessárias. Vamos cuidar da sinalização e comunicação para não alarmar excessivamente.

Fonte: La Vanguardia

36 Presença local em motores de busca. Atualize o arquivo do Google Maps para possíveis alterações de programação. Relatar eventos na Eventbrite ou Meetup.

37 Teste o uso da Inteligência Artificial para conhecer o uso e capacidade dos espaços.

38 Fornecer à equipe habilidades e competências para o ambiente virtual.

39 Transformação digital de bibliotecas. Todas as ações devem ter lugar em um portal da web atualizado, ágil, acessível e recuperável em buscadores. Processos como o cadastramento de novos usuários deverão estar online o ano todo, bem como a reserva de cursos, salas, vagas de leitura, etc.

40 Bibliotecas não fecham serviços. Crie uma estratégia para alcançar os tomadores de decisão e transmitir o que é a biblioteca (o épico novamente) e quais são as nossas necessidades. Apresentar a biblioteca como garantia da democracia.

Epílogo. A situação vivida durante o confinamento foi muito difícil para todos e as bibliotecas trabalharam na sua adaptação às marchas forçadas. Nestes meses, muitos profissionais vinculados às bibliotecas têm reivindicado um papel de maior destaque na gestão e ação social na pandemia. Nossa motivação é reivindicar o papel central desses serviços, repensar as bibliotecas em situações extremas e oferecer –aberto– contribuições para agregar nosso grão de areia a um debate necessário para que as bibliotecas continuem cumprindo sua missão.

CARME FENOLL Bibliotecária e atual Chefe de Gabinete do Reitor da UPC

ANA ORDÁS Bibliotecária. Comunicação digital e desenvolvimento profissional de bibliotecários

IRENE BLANCO Bibliotecária e consultora de marketing digital

Tradução livre do texto Bibliotecas en cuarentena, publicado no La Vanguardia.

Disponível em: https://www.lavanguardia.com/cultura/culturas/20200905/483263752691/bibliotecas-cuarentena-covid.html. Acesso em: 6 set. 2020.