FBN investe mais de R$ 40 milhões em acervo para bibliotecas

CBL – 05/12/2011
A Fundação Biblioteca Nacional publicou o maior edital de apoio às bibliotecas da história do Ministério da Cultura. Serão investidos mais de R$ 40 milhões na ampliação e atualização de acervos de bibliotecas municipais, comunitárias, rurais e pontos de leitura que estiverem inscritos no Cadastro Nacional de Bibliotecas. (Foto: Jornal do Brasil)

A Fundação Biblioteca Nacional publicou na última quinta-feira, 1/12, o maior edital de apoio às bibliotecas da  história do Ministério da Cultura. Serão investidos mais de R$ 40 milhões na ampliação e atualização de acervos de bibliotecas municipais, comunitárias, rurais e pontos de leitura que estiverem inscritos no Cadastro Nacional de Bibliotecas. 

Do total a ser investido, R$ 7 milhões serão utilizados para compra de livros escolhidos no pregão realizado ano passado, totalizando 320 exemplares dos mil títulos selecionados para ajudar a revitalizar o acervo das bibliotecas e, ainda, implantar 300 novos pontos de leitura em 2012. 

Acesse o edital.

Disponível em: <http://www.brasilquele.com.br/noticia_show.php?noticia=6996>. Acesso em: 16 dez. 2011.

 

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Notícias

4 Respostas para “FBN investe mais de R$ 40 milhões em acervo para bibliotecas

  1. Yvanne

    Olá!
    Mundo Bibliotecário,

    Agradeço pelas últimas notícias enviadas sobre a ampliação do acervo das bibliotecas…estou prestando vestibular para o curso de Bibliotecário. Essas informações são muito importantes, assim me mantenho atualizada.
    Att,
    Yvanne

    • Olá, Yvanne!

      Fico muito satisfeito em saber da sua decisão e do seu retorno ao blog! Espero que o Mundo Bibliotecário continue mantendo-a informada! Boa sorte no vestibular!

      Eduardo.

  2. Carlos Eduardo

    Gostaria de saber se essas ações do governo federal contemplam o incentivo a contratação de bibliotecários e a capacitação de recursos humanos para trabalharem nas bibliotecas públicas, já que raramente essas instituições contam com profissionais com a mínima qualificação. As políticas públicas para bibliotecas públicas e escolares do governo se constituem basicamente no envio de livros, beneficiando assim as editoras, e raramente considerando o contexto local.
    Carlos Eduardo, bibliotecário
    Goiânia – Goiás

    • Olá, Carlos Eduardo!

      Realmente não tinha visto a questão por esse lado. A questão é que não só há profissionais pouco qualificados nas bibliotecas públicas em geral, mas pelo menos alguns concursos públicos tem oferecido salários vergonhosos. Nas escolares a situação me parece tão ou mais complicada quando nas públicas. Algumas pessoas denunciam esses concursos para seus respectivos CRBs, mas não nunca se sabe como a história termina. Eu mesmo denunciei um para o SINBIESP, no ano passado, mas até hoje não obtive resposta… Por outro lado, acredito que também é nosso papel buscar cursos para garantir nossa constante atualização (sobre isso, visita a página Cursos EaD aqui do Mundo Bibliotecário), não podemos apenas esperar que nos ofereçam (seja a empresa que trabalhamos ou as instituições de classe), mas também temos que criar as oportunidades! De fato, concordo que muitas vezes as políticas acabam priorizando o acervo em detrimento do profissional.

      Obrigado pela oportunidade de refletir sobre o assunto!
      Eduardo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s