Biblioteca Digital de Pernambuco será lançada em breve

Jornal do Brasil
Antonio Campos

O Instituto Maximiano Campos (IMC) e a ARC – Indústrias Criativas estarão lançando, em breve, o projeto Biblioteca Digital de Pernambuco. Será uma biblioteca virtual em nuvem de livros digitais. O foco serão os autores pernambucanos, mas não um ambiente exclusivo deles.

Será lançada a nuvem de livros até o dia 23 de abril de 2013, que é o Dia Internacional do Livro e da Leitura instituído pelo Unesco. Após criar o Instituto Maximiano Campos que completou 10 anos, em 2012; de fazer o projeto Pernambuco em Antologias, que é uma trilogia de contos, poesia e crônicas; de fazer o projeto Pernambuco, Jardim de Baobás, que é o maior levantamento fotográfico e ecológico dos baobás de Pernambuco; de estruturar a coleção Pernambuco em Miniquadros, que está se tornando museu e de realizar a Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto), que está em sua 8ª edição, que é uma das duas maiores festas literárias do Brasil, faremos a maior biblioteca virtual de Pernambuco. Será uma nova biblioteca de Alexandria, em versão digital, de autores pernambucanos.

Tal iniciativa não impede que Pernambuco também tenha a sua biblioteca pública digital. Sugeri esta ideia ao Governo do Estado, UBE e Academia Pernambucana de Letras. O modelo da Biblioteca Digital de Pernambuco é de uma biblioteca comercial. A outra teria o modelo de uma biblioteca pública digital.

Começaremos disponibilizando os autores pernambucanos que estão em domínio público. Contudo, também traremos para a nuvem de livros autores com direitos autorais protegidos, propondo um modelo de pagamento de direitos autorais coerente com o mundo digital. Teremos modelos de adesão para autores e para editoras.

O Brasil tem mais de 200 milhões de celulares, é o paraíso das lan houses, os tablets já começam a serem distribuídos nas salas de aula, bem como possui um razoável grau de informatização. Contudo, o conteúdo disponível na internet precisa, muitas vezes, ser organizado para uma facilitação de acesso. Ainda tem pouco conteúdo organizado para colocar nos tablets. A nuvem terá um curador com notória especialização para que as obras disponíveis sejam as mais corretas possíveis em suas versões. Terá uma fan page no Facebook para os leitores comentarem os livros que leram na nuvem de livros. Será uma nuvem de livros interligada a redes sociais.

Até 2020, por lei, todas as escolas, tanto as públicas quanto as particulares, deverão ter uma biblioteca e um livro por aluno matriculado. E porque ela não pode ser virtual? Basta aderir a uma nuvem de livros. O custo de manutenção é bem menor, entre outras vantagens.

A Biblioteca Digital de Pernambuco será uma referência para o público encontrar autores pernambucanos e, certamente, uma forma de democratizar, ainda mais, o conhecimento e divulgar a criação literária pernambucana. E essa biblioteca virtual ficará disponível ao mundo inteiro.

Antônio Campos, advogado, escritor, editor, membro da Academia Pernambucana de Letras, presidente do Instituto Maximiano Campos e curador da Fliporto.

camposad@camposadvogados.com.br

Disponível em: http://www.jb.com.br/antonio-campos/noticias/2012/10/31/biblioteca-digital-de-pernambuco-sera-lancada-em-breve/. Acesso em: 4 nov. 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s