Registrar patentes do produto gera vantagem comercial

Minifly, da Trilke Ícaros

Minifly da Trike Ícaros: pedido de patente do novo produto já foi protocolado, mas empresa pode esperar anos pela aprovação

ão Paulo – Da indústria fonográfica até a aerodesportiva, a disseminação da tecnologia tem ampliado a preocupação das empresas com o registro de suas ideias, marcas e patentes.

A Trike Ícaros, empresa fabricante de trikes – ultraleve pendular -, sentiu na pele essa preocupação com a propriedade intelectual. “Víamos a concorrênciafabricando nosso produtos e ainda utilizando nosso nome, mencionando como ‘similar ao trike da Ícaros’. Percebemos que o mercado estava drenando um possível resultado nosso”, diz Tathiane Favero, diretora comercial da empresa.

Diante desse cenário, a empresa pelo registro de propriedade intelectual do modelo Ômega Topless de asa, concebido pela Ícaros. O resultado foi positivo.

“Acabamos coibindo um pouco a ação dessas empresas que replicavam nossos produtos. Até os anúncios da internet foram retirados”, afirma.

Na prática o resultado é visível também nos números: as vendas do modelo e de serviços de manutenção cresceram 55% em 2012 frente ao ano anterior. “Os clientes que acabavam indo para o mercado paralelo, passaram a executar os serviços com a gente.”

Propriedade intelectual

O registro da propriedade intelectual sobre algum produto garante uma segurança comercial para a empresa criadora – além de servir como baliza par ao mercado.

Segundo Vinícius Moreira, diretor da AG Moreira Marcas e Patentes afirma que, via de regra, o investimento no registro não impacta sobre o preço do produto, uma vez que o custo é baixo – por volta de R$ 2 mil.

“Muitas vezes, empresas levam 5 ou 6 anos desenvolvendo um produto e acaba perdendo dinheiro do investimento por causa da falta de registro e consequente aumento da concorrência”, diz.

Por aqui, a estrutura regulatória para registro de marcas e patentes ainda é rudimentar. “O INPI ainda é um órgão muito lento”, diz Moreira. “São 120 mil processos parados na instituição, o que faz com que o registro de patentes leve até 10 anos para ser efetivado.“

Disponível em: <http://exame.abril.com.br/gestao/noticias/registrar-patentes-do-produto-gera-vantagem-comercial>. Acesso em: 21 abr. 2013.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Notícias

2 Respostas para “Registrar patentes do produto gera vantagem comercial

  1. carmen lucia troiani

    Estratégia de Marketing, conduz a Organização ao avanço tecnológico esquivando-se da concorrência, esta meta é primordial. A Burocracia organizacional, por sua vez, leva à lentidão Empresarial. Gerando prejuízos. O perfil burocrático é feito para melhorar as condições das
    Organizações e Métodos Empresariais. Esse retrato deve ser mudado se medidas rápidas não forem tomadas. O ideal é os empresários, sairem
    da zona de “conforto” e recorrerem à agilização, já atrasada, do INPI, tomar as devidas precauções para facilitar o andamento dos registros e e patentes. Para o seu próprio bem… senão…

  2. Pingback: Registrar patentes do produto gera vantagem comercial | Mundo … | Marcas e Patentes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s