Movimento Brasil Literário – 28/09/2014

Bibliotecas são espaços ideais para o acesso e manuseio cotidiano dos livros, além da prática de leitura, e contribuem, portanto, de forma expressiva para o
desenvolvimento da capacidade de leitura.

Cenário brasileiro sobre leitura e biblioteca

-A Lei 12 244/10, determina a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País até 2020. Representa um avanço significativo, mas um desafio igualmente expressivo. Estas razões levaram à criação da coalizão EU QUERO MINHA BIBLIOTECA, uma iniciativa do Instituto Ecofuturo que reúne organizações que atuam nas áreas de educação, leitura e biblioteca.

– Em 2011, 72,5% das escolas do país não tinham biblioteca. Era necessário construir 128 mil bibliotecas até 2020, sendo 34 bibliotecas/dia em escolas públicas. Dados divulgados pelo Todos pela Educação em janeiro de 2013.

– 420 municípios brasileiros não têm bibliotecas públicas e daqueles que têm pelo menos uma, apenas 24% abrem à noite e somente 12% funcionam aos sábados, segundo pesquisa de 2010 realizada pela Fundação Getúlio Vargas, a pedido do Ministério da Cultura.

– 2/3 dos municípios brasileiros não tem livraria, segundo dados da Associação Nacional de Livrarias (ANL) de 2010.

– 45% das crianças citam professores como maior influenciador para terem se tornado leitores, a mãe alcançou 43%, seguida pelo pai, com 17%; entre os cinco e 17 anos, as bibliotecas escolares estão à frente de qualquer outra forma de acesso ao livro (64%) – o que mostra a relevância de haver boas bibliotecas nos colégios brasileiros; pesquisa de 2011 revela que, numa comparação com o resultado de 2007, crianças e adolescentes estão lendo menos. Pesquisa Retratos da Leitura, 2012

– Hábito da leitura depende de uma diversidade de fatores, sendo um deles a disponibilidade física de livros para consumo. Ou seja, bibliotecas.

– Os benefícios de uma biblioteca viva e de qualidade para uma comunidade já foram comprovados. Segundo dados do SAEB 2003 (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) para alunos da 4ª série (atual 5º ano), há maior proficiência em leitura quando até 25% dos alunos da escola fazem uso da biblioteca e esse número aumenta quando mais de 75% dos alunos a utilizam regularmente. Quando a biblioteca escolar tem um responsável, a média aumenta, e, quando os professores realizam atividades dirigidas nesse ambiente, há ganhos importantes e significativos na aprendizagem. O levantamento realizado sob a coordenação do pesquisador do IPEA Ricardo Paes de Barros, para o Ecofuturo, feito com 55 bibliotecas do Programa Ler é Preciso – implantadas pelo Instituto com parceria técnica da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – em municípios dos estados da BA e PE, mostra a elevação de 156% do progresso natural de aprovação escolar e redução de 46% na taxa de evasão escolar em comparação com regiões que não possuem bibliotecas do Programa na comparação com aqueles que não
contam com uma.

Bibliotecas no PNE (Plano Nacional de Educação)

Meta 7.17 (aprendizado adequado na idade certa): assegurar, a todas as escolas públicas de Educação Básica, água tratada e saneamento básico; energia elétrica; acesso à rede mundial de computadores em banda larga de alta velocidade; acessibilidade à pessoa com deficiência; acesso a bibliotecas; acesso a espaços para prática de esportes; acesso a bens culturais e à arte; e equipamentos e laboratórios de ciências.”

Meta 9: elevar a taxa de alfabetização da população com quinze anos ou mais para noventa e três vírgula cinco por cento até 2015 e, até o final da vigência deste PNE, erradicar o analfabetismo absoluto e reduzir em cinquenta por cento a taxa de analfabetismo funcional.

Bibliotecas no Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL)

Eixo 1 – Democratização do acesso
1.1. Implantação de novas bibliotecas
Implantação de novas bibliotecas municipais e escolares (com acervos que atendam, pelo menos, aos mínimos recomendados pela Unesco, incluindo livros em braile, livros digitais, audiolivros etc, computadores conectados à Internet, jornais, revistas e outras publicações periódicas) e funcionando como centros de ampla produção e irradiação cultural. Apoio à abertura de bibliotecas comunitárias (periferias urbanas, morros, hospitais, creches, igrejas, zonas rurais, clubes de serviços,
ONGs etc.).

A CAMPANHA Eu Quero Minha Biblioteca é uma campanha pela universalização de bibliotecas em escola, um direito previsto na Lei 12.244/10, que determina que todas as escolas públicas e privadas do Brasil devem ter sua biblioteca até maio de 2020. Existem recursos públicos destinados à educação que podem ser buscados para construir, manter e ampliar bibliotecas em escolas públicas. É preciso conhecê-los e entender como acessá-los, já que nem sempre estão claramente identificados como recursos para bibliotecas. Para isso, a Campanha atua em três linhas de ação: Articulação: parcerias e alianças contínuas para alcançar a universalização de bibliotecas em escolas; Instrumentalização: Dar instrumentos para universalização de bibliotecas em escolas por meio da produção e disseminação de conteúdos; Engajamento: Fomentar o empenho da sociedade. Para mais informações, acesse o site! http://www.euquerominhabiblioteca.org.br

Disponível em: <http://www.blogdogaleno.com.br/2014/10/08/ainda-faltam-bibliotecas-escolares-em-72-das-escolas>. Acesso em: 10 out. 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s