Consulta Pública – Código de Ética do Bibliotecário

O Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), visando ampliar as discussões sobre a reformulação do Código de Ética do Bibliotecário brasileiro, iniciará no dia 10/11/2017 uma Consulta Pública on-line sobre a proposta de texto do Novo Código de Ética e Deontologia do Bibliotecário brasileiro, cujo texto preliminar segue anexado. A Consulta estará aberta até o dia 10/12/2017

Interna e externamente, as discussões sobre as questões éticas relacionadas com a atuação do Bibliotecário, com vistas a reformulação do seu vigente Código de Ética, foram iniciadas desde a 16ª Gestão do CFB, durante a realização dos Seminários Regionais de Bibliotecas Escolares e Públicas e de Ética Profissional. Eventos que aconteceram entre maio de 2014 e maio de 2015, nas cinco regiões do País, cujos resultados evidenciaram a necessidade da reformulação do Código de Ética.

Sua opinião é muito importante, por isso estamos contando com a participação de todos os Bibliotecários brasileiros, independentemente do cargo ou função que esteja exercendo, dentro ou fora da nossa área profissional, e até mesmo se você ainda for um acadêmico.

Desejavelmente, gostaríamos que o texto fosse analisado ponto a ponto. Sinta-se à vontade para contribuir da forma que desejar, complementando itens ou conteúdos que o texto proposto não contemplou, ou sugerindo a exclusão das partes que entender desnecessárias. Não se omita. Essa participação será mais uma oportunidade para você continuar contribuindo com o desenvolvimento da nossa profissão.

Por fim, esclarecemos que todas as contribuições recebidas serão sistematizadas, analisadas, aprovadas e incorporadas pela Comissão de Ética do CFB ao texto final da proposta do Novo Código de Ética e Deontologia do Bibliotecário brasileiro. Em seguida o texto será submetido ao Plenário do CFB para apreciação e aprovação (Clique aqui para acessar a Proposta do Novo Código de Ética e Deontologia do Bibliotecário e o Formulário de resposta à Consulta Pública). Estamos aguardando a sua contribuição.

Disponível em: <http://www.byteservicos.com/consulta_publica/>. Acesso em: 22 nov. 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Veja como foi a 1ª Caminhada dos Bibliotecários – São Carlos (SP)

Mesmo com a previsão de chuva para o dia 19/11/17 e o tempo nublado, a 1ª Caminhada dos Bibliotecários – São Carlos (SP) aconteceu!

Segundo as estatísticas do Facebook, a caminhada teve 34 interessados e 11 confirmaram presença. Estiveram presentes 8 pessoas, o que é um bom começo para o primeiro evento!

Como as fotos foram registradas no final, alguns participantes já haviam se dispersado. Agradeço a presença de todos e até a próxima caminhada!


Crédito: André Del Bianco Giuffrida


Crédito: Marcos Teruo Ouchi

4 Comentários

Arquivado em Eventos

RDA – Resource Description Access: rumos da catalogação contemporânea

Deixe um comentário

18 novembro 2017 · 1:39 pm

Um bom bibliotecário pode fazer muito pela sua saúde

Fonte da imagem: Istock

Os bibliotecários médicos e a pesquisa que realizam podem ser uma parte indispensável de qualquer equipe de saúde

***

Alguns dizem que o melhor amigo de um médico é farmacêutico. Como pacientes, sabemos que o farmacêutico trabalha com o médico para se certificar de que obtemos o melhor e mais seguro medicamento para nossa condição médica particular e sabemos que às vezes o farmacêutico precisa mudar o que o médico prescreveu para se adequar melhor ao conjunto do nosso perfil de medicação. É uma boa parceria. Mas os médicos têm outro amigo importante que a maioria dos pacientes não conhece.

Os bibliotecários médicos trabalham na maioria dos hospitais da região da Grande Filadélfia. Eles servem estudantes de medicina ao longo de seu treinamento, bem como médicos e enfermeiros, com sua pesquisa e prática diária.

Leia o texto original em inglês de Bob Kieserman para saber na prática como é o trabalho do bibliotecário na área médica!

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

1ª Caminhada dos Bibliotecários – São Carlos (SP)

tree walking group people perspective lookout wildlife aerial above shadows pedestrians way footpath cobblestones strolling plastered

O Mundo Bibliotecário promove, no dia 19/11/17, a 1ª Caminhada dos Bibliotecários em São Carlos (SP)

Precisa fazer inscrição? Tem custo?

Não precisa fazer inscrição, mas você pode confirmar sua presença no Facebook.

Custo: zero!

 

Qual o local da caminhada?

O grupo dará uma volta completa na pista em frente ao SESC São Carlos (SP).

 

Como funciona?

Leve seu boné, água e uma fruta ou outro alimento leve. E, claro, filtro solar! Use uma roupa leve e tênis confortável.

 

Qual o horário?

A concentração será em frente ao SESC São Carlos (SP) as 8h00. A saída será as 8h30.

 

Caminhada dos Bibliotecários? Só podem participar bibliotecários?
Não! O evento é aberto a todos! Traga sua família, amigos e quem mais você quiser!

 

Todos os participantes receberão um brinde exclusivo e gratuito do Mundo Bibliotecário!

Participe!

Fonte da imagem: https://pxhere.com/en/photo/1078184

1 comentário

Arquivado em Eventos

Organize a sua biblioteca de arquivos

Conheça cinco sites e aplicativos para você ter a sua estante documentada online

por Ramon Vitral
Editora Globo

Poucos sitesposts e tumblrs são tão compartilhados quanto aqueles destinados à reprodução de estantes repletas de livros – ou games, filmes e quadrinhos. Os dilemas de distribuição por formatos, gêneros, autor ou qualquer outro critério utilizado para a organização de uma estante serão muito mais pessoais no mundo físico. Mas se a ideia é ter um registro virtual de toda sua coleção, há ótimas possibilidades de sites e aplicativos destinados a pessoas obcecadas por registrar suas posses.

GoodReads, por exemplo, permite que você registre todas as suas leituras e troque avaliações sobre cada obra lida. Com mais de 8,5 milhões de membros, o site tem registrados mais de 300 milhões de livros e o cadastro é grátis.

Além de livros, o Libib também permite o cadastro de games, filmes e quadrinhos. O site deixa que você faça o upload das capas da sua coleção caso as obras não estejam cadastradas. Mas antes você pode tentar buscar pelo número do ISBN (o sistema internacional de identificação de livros segundo autor, país e editora).

Já o Shelves permite que você administre sua coleção pelo celular. O aplicativo funciona para quem possui uma estante com livros importados e permite que você liste suas leituras escaneando o código de barras de cada obra.

Library Thing se auto-intitula o maior clube de leitura do mundo. Mais semelhante ao Good Reads, ele também permite troca de opiniões e avaliações de obras. Sua maior vantagem é estar disponível em português. No entanto, a partir de 200 livros é necessário pagar US$ 10 por ano para registro ilimitado de obras. Ou então, se optar por pagar US$ 25, a catalogação será ilimitada enquanto a pessoa quiser fazer uso do site.

Um dos mais interativos e com melhor design, o Delicious Library é exclusivo para Mac e iOS. Reúne e disponibiliza uma imensa quantidade de dados sobre a sua coleção, como número de páginas e o valor estimados da sua biblioteca. Além de possuir alguns extras divertidos: sempre que uma obra do universo de Star Wars é adicionada, o aplicativo exclama a clássica fala de Darth Vader: “Eu sou o seu pai!”. Quando é incluído um livro ou filme da série Harry Potter, é sussurrado o nome do vilão da saga, Voldemort.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Brasiliana Iconográfica

Visite instituições culturais brasileiras sem sair de casa: conheça a Brasiliana Iconográfica!

Sobre o Projeto

O termo Brasiliana designa, em termos gerais, aquilo que diz respeito à cultura e história do Brasil, incluídos estudos, publicações, referências visuais e outros tipos de documentos. A definição contempla as fontes datadas a partir do século XVI, quando começam a circular os primeiros mapas e livros sobre a América Portuguesa, abrangendo também pinturas e estudos científicos sobre a natureza do país, difundidos ao longo do século XIX.

O projeto Brasiliana Iconográfica propõe-se reunir em um mesmo portal web fontes iconográficas – desenhos, aquarelas, pinturas, gravuras e impressos – dispersas por coleções públicas e privadas no Brasil e no exterior, tornando-as acessíveis à consulta virtual de um público amplo e internacional.

Inicialmente, estarão disponíveis dados técnicos e imagens em alta resolução dos acervos de Brasiliana, pertencentes a instituições diretamente envolvidas na criação deste portal. São elas: Fundação Biblioteca Nacional e Instituto Moreira Salles (Rio de Janeiro), Pinacoteca de São Paulo e Instituto Itaú Cultural (São Paulo). Pretende-se que este portal seja enriquecido com material proveniente de outras coleções de mesmo perfil. Dessa forma, Brasiliana Iconográfica apresenta-se como instrumento de preservação digital desse patrimônio, cuja extensão nem os especialistas desta área de estudo avaliam com precisão.

Mais do que oferecer um repertório de imagens sobre o Brasil, datadas desde o século XVI até as primeiras décadas do século XX, o projeto prevê que o Brasiliana Iconográfica transforme-se numa espécie de “museu virtual”, espaço destinado ao debate e à reflexão sobre o tema. Para tanto, especialistas serão convidados a redigir comentários e conteúdo interpretativo sobre conjuntos de obras e a organizar mostras temporárias que possam fazer referência, por exemplo, a efemérides históricas, ou mesmo a aspectos da linguagem artística, compartilhados por autores elencados no portal.

Está previsto que o portal seja disponibilizado em outras línguas além do português, para que tenha abrangência geográfica e possa abrigar contribuições vindas de diferentes partes do mundo. O objetivo do projeto é tornar Brasiliana Iconográfica um espaço virtual de referência dos estudos sobre a iconografia relativa ao Brasil.

Os parâmetros utilizados para seleção das imagens do portal Brasiliana Iconográfica estão descritos a seguir:

DA NATUREZA DAS IMAGENS

São considerados os registros originais e únicos (como aquarelas, desenhos ou pinturas a óleo) e imagens impressas de circulação avulsa ou encadernadas em livros. Essas imagens devem configurar-se como descrições do território (incluídas a paisagem e a cartografia), da natureza (imagens de botânica, zoologia etc.) ou da sociedade (cenas de costumes, de etnografia, ou registros de fatos históricos). Incluem-se também retratos de personalidades, entendidos como destinados à divulgação de uma imagem política do país no exterior, como é o caso, por exemplo, dos retratos de políticos ou da família imperial.

DA AUTORIA DAS IMAGENS

São considerados autores com treinamento artístico formal e amadores, estrangeiros e brasileiros, cujas práticas artísticas aproximem-se do procedimento descritivo ou científico que orienta a iconografia de viagem do século XIX. A iconografia dos viajantes é privilegiada nesta seleção. Incluem-se também imagens de autoria de artistas estrangeiros, radicados no país, ou mesmo daqueles que nunca aqui estiveram, mas que se apropriam de imagens de outros autores, como é o caso, por exemplo, do editor flamengo Theodore de Bry.

DO RECORTE CRONOLÓGICO

O recorte cronológico proposto abrange desde as primeiras imagens divulgadas sobre o país, logo após a chegada dos portugueses no século XVI, até o início da década de 1920. O centenário da independência, em 1922, será adotado como marco final desta cronologia. Isso se justifica, por um lado, por se considerar que ali se consolida um processo de construção de uma imagem de nação brasileira, processo este que deve muito, em seu início, à iconografia propagada pelos artistas viajantes a partir de 1808. Outras versões de uma história nacional serão reelaboradas posteriormente, inclusive nas décadas de 1960 e 1970, mas baseadas em conceitos diversos dos de natureza e território, predominantes na iconografia tradicionalmente chamada de Brasiliana. Por outro lado, na década de 1920, propagam-se no meio artístico brasileiro novas noções de modernidade. Tais noções, fundam-se na valorização da subjetividade e das pesquisas de linguagem, que divergem do cientificismo e objetividade predominantes no século XIX.

Disponível em: <http://www.brasilianaiconografica.art.br/sobre-o-projeto>. Acesso em: 28 out. 2017.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias