Biblioteca do CCBB reabre na próxima quarta-feira

RIO – Fechada no início de junho “por motivo de reorganização administrativa”, a Biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) será reaberta na próxima quarta-feira, dia 22 de agosto, com mais quatro mil livros disponíveis para o público. Do total, dois mil foram doação do embaixador René Haguenauer. Outra boa notícia é que o acervo da videoteca foi integrado à biblioteca: a consulta pode ser feita no local, e o filme assistido na sala multimídia. Os equipamentos dos terminais de busca também foram trocados, e agora os visitantes têm 10 computadores disponíveis para pesquisa. Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Pesquisadores brasileiros criam ‘biblioteca’ de ultrassons de morcegos com 65 espécies do país

Morcego Molossops temminckii, típico da América do Sul

DIVULGAÇÃO – Pesquisadores compilaram os sons emitidos por 65 especies de morcegos, entre eles o ‘Molosssops temminckii’

Munidos de sofisticados equipamentos de gravação, pesquisadores de quatro universidades brasileiras compilaram os sons de alta frequência (ultrassons) emitidos por 65 espécies de oito das nove famílias de morcegos encontradas no país. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Duas quenianas encaram o desafio de restaurar bibliotecas abandonadas

Apesar da deterioração da biblioteca McMillan, um importante edifício com colunata dos anos 1930, uma dezena de moradores de Nairóbi visita o local para desfrutar da calma e dos poucos livros disponíveis.

Em breve, estes moradores terão à disposição um novo espaço moderno e restaurado. Esse é o desafio da editora Angela Wachuka e da escritora Wanjiru Koinange, que trabalham na restauração de três bibliotecas da capital queniana, abandonadas há décadas. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

A vez das booktubers

Livros de estreia das booktubers Paola Aleksandra e Bel Rodrigues chegam à Lista Nielsen PublishNews, aquela que acompanha os livros de autores nacionais mais vendidos no país
Bel Rodrigues e Paola Aleksandra estreiam na lista Nielsen PublishNews | © redes sociais das autoras

Bel Rodrigues e Paola Aleksandra estreiam na lista Nielsen PublishNews | © redes sociais das autoras

A Lista Nielsen PublishNews, aquela que reúne os livros de autores nacionais mais vendidos em livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento do Brasil, deu as boas-vindas, em julho, para três novos títulos na Lista de Ficção. Em comum, os três foram escritos por mulheres: Volte para mim (Essência / Planeta), de Paola Aleksandra, em terceiro lugar; 13 segundos (Galera Record), de Bel Rodrigues, em quinto, e Nunca é tarde para mudar (Academia / Planeta), de Monica de Castro, em 14º. Interessante notar que esses foram os primeiros livros de Paola e de Bel (essa já tinha participado de uma coletânea, mas é o seu primeiro trabalho solo). Mas mais do que isso, é interessante ainda observar que as duas são donas de canais no YouTube criados para falar justamente sobre livros. Monica de Castro, no entanto, já teve outros livros nas listas dos PublishNews.

A Lista de Ficção é liderada por Augusto Cury que faz uma dobradinha no topo, com O homem mais feliz da história (Sextante), em primeiro, e O homem mais inteligente da história (Sextante), em segundo. Nomes já velhos conhecidos da lista permaneceram nesse mês. É o caso de Marco Túlio, o AuthenticGames, que colocou quatro títulos na lista, todos publicados pela Astral Cultural. É o caso também de Paula Pimenta, que emplacou quatro volumes da sua coleção Minha vida fora de série (Autêntica). Teve espaço ainda para grandes figurões da literatura nacional, como Clarice Lispector e Graciliano Ramos com os seus inoxidáveis e sempre presentes A hora da estrela e Vidas secas.

Em Não Ficção, o topo da lista é ocupado, é claro, pelos irmãos Neto. As aventuras na Netoland com Luccas Neto (Pixel) ficou em primeiro lugar e Felipe Neto – A vida por trás das câmeras, em segundo. Caio Carneiro e o seu Seja foda! (Buzz) completa o pódio do mês. A lista trouxe uma única novidade no mês que foi marcado pela Copa do Mundo de Futebol. Estamos falando de O guia secreto do sabe tudo das copas(Pixel), de Marcelo Martinez, que estreou na lista ocupando a 14ª posição.

A Planeta reassume a liderança do Ranking Geral das Editoras, com seis títulos. Na sequência, aparece a Astral Cultural, com cinco. Autêntica e Ediouro, com quatro títulos cada, ficaram com o bronze. No mês ainda pontuaram as seguintes editoras: Gente, Sextante e Somos, com três títulos cada; Grupo Editorial Record e LeYa, com dois; Buzz, Globo, Grupo Companhia das Letras, HarperCollins Brasil, Melhoramentos, Papirus, Rocco e Vozes, com um título cada.

PUBLISHNEWS, LEONARDO NETO, 14/08/2018

Disponível em: <https://www.publishnews.com.br/materias/2018/08/14/a-vez-das-bookturbers>. Acesso em: 14 ago. 2018.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Descubra como catalogar filmes, séries, podcasts e livros na internet

Precisando de uma ajudinha para colocar em ordem o conteúdo que você consume? Com esses apps, você controla os filmes e séries que já viu, os podcasts que escuta e os livros que já leu!

Por Redação Vivo Tech09/07/2018 às 17:19

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Notícias

Startup cria aplicativo para pais e filhos contarem histórias

O Inventeca ajuda o desenvolvimento da linguagem de crianças por meio da contação de suas próprias histórias
© Carlos Pupo

© Carlos Pupo
A  StoryMax, startup publicadora de app books – livros digitais interativos para tablets e smartphones – focados no público jovem lançou seu 10º aplicativo, o Inventeca. O aplicativo reproduz a experiência de leitura de livros de imagem para leitores de todas as idades e convida crianças a usarem a criatividade para imaginar as narrativas. Pais e mediadores podem também deixar histórias narradas prontas para serem ouvidas mesmo quando não estiverem presentes, diminuindo distâncias impostas por rotinas modernas. Até o momento, o Inventeca traz duas histórias ilustradas que cada leitor poderá navegar enquanto cria uma narrativa oral e a deixa gravada para compartilhar no seu aparelho. Outras histórias serão comercializadas em breve. O aplicativo está disponível para iOS e Android
PUBLISHNEWS, REDAÇÃO, 07/08/2018

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Fast food em São Francisco pagará 50 reais por hora para equipe ler livros

Lembra daquela história de que os robôs irão tomar empregos, especialmente os mais operacionais? Na Creator, uma hamburgueria de São Francisco (Estados Unidos), o conto virou parcialmente realidade. Um robô de mais de quatro metros usa sua inteligência para produzir 120 sanduíches por hora. Mas isso não significou o fim dos empregos humanos. Pelo contrário: agora, os funcionários recebem também para fazer cursos online e lerem livros educativos.

Nem sempre Alex Vardakostas, criador da hamburgueria, teve esse plano. Inclusive, no longínquo ano de 2012, quando o negócio ainda se chamava Momentum Machines, ele afirmou que “[nosso equipamento] deve servir para remover os funcionários completamente”, de acordo com o Business Insider.

Após oito a nove anos de desenvolvimento e muitas especulações sobre o fim do trabalho para adolescentes, a Creator abriu suas portas há um mês, com um posicionamento bem mais no estilo do Vale do Silício. “A ideia de não ter de falar com ninguém me parece distópica”, corrigiu-se Vardakostas para a Forbes. “Estamos em um ponto no qual realmente acreditamos que você não pode automatizar a criatividade e a interação social humanas.”

As duas máquinas, com produção total de 240 hambúrgueres por hora, focarão em processos que os humanos não poderiam fazer melhor. Por exemplo, eles usam sensores para determinar a temperatura ideal para cada hambúrguer; fazem um processo de moeção difícil de reproduzir apenas com as mãos humanas; e conseguem cortar vegetais milimetricamente.

A máquina-chef da hamburgueria Creator, de São Francisco (Creator/Divulgação)

Enquanto isso, os funcionários devem se concentrar em tarefas mais complexas, como ajudar o cliente na hora de pensar no pedido ideal. Os benefícios aos funcionários estão mais para Google do que para fast food: cursos grátis na plataforma online Coursera e 5% da jornada de trabalho dedicada à leitura de livros educacionais, que podem ser colocados na própria lanchonete da Creator.

O salário dos funcionários é de 16 dólares por hora (na cotação atual, cerca de 50 reais). Mas Steve Frehn, cofundador da Creator, afirma que alguns funcionários podem aproveitar oportunidades de trabalho a partir do seus convívios com as máquinas-chefs. “Neste momento, se você está se candidatando a um curso superior, você pode não colocar seu trabalho em um restaurante de hambúrgueres no currículo. Mas seria bem legal colocar que você trabalhou na Creator, e é assim que nós sabemos que fizemos um bom plano de carreira”, completa Vardakostas.

Espaço da hamburgueria Creator, com livros nas prateleiras (Creator/Divulgação)v

Com menos gastos na produção dos hambúrgueres e com aluguéis de espaços grandes para a cozinha, a Creator consegue cobrar seis dólares por seus hambúrgueres, em linha com o cobrado na gigante McDonald’s. Cerca de 40% dos custos da Creator vai para os ingredientes, incluindo iguarias como a ameixa japonesa umeboshi e o molho francês aioli feito com ostras defumadas. Com ingredientes gourmet e atendentes intelectuais, a Creator alcança o feito de concorrer, ao mesmo tempo, como hamburgueria mais tecnológica e mais hipster de São Francisco.

*Por Mariana Fonseca para Exame.com.

Disponível em: <https://startupi.com.br/2018/07/fast-food-em-sao-francisco-pagara-50-reais-por-hora-para-equipe-ler-livros/>. Acesso em: 7 ago. 2018.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias