Arquivo da tag: ABNT

Pontuação e autoria na ABNT NBR 6023:2018

A Seção 6 da ABNT NBR 6023:2018 trata das regras gerais de apresentação de referências, que totalizam 10.

A regra 6.4 expõe que “A pontuação deve ser uniforme para todas as referências.”

 

Ponto de exclamação

Fonte: https://svgsilh.com/pt/image/150801.html

 

Sobre isso, a pontuação a que se refere à norma é sobre os elementos gráficos ponto, ponto e vírgula, vírgula, dois pontos, hífen, colchetes, parênteses, reticências, dentre outros que podem aparecer em exemplos e situações distintas abordadas na norma.

Exemplos:

Disponível em: e Acesso em:

p. 4553

[2017]

Anais […]

[S. l.]

Com isso, a norma quer dizer que todos os elementos gráficos de pontuação utilizados devem seguir o mesmo padrão em todas as referências em que forem utilizados.

***

Na Seção 8, que aborda a transcrição dos elementos, há uma novidade na regra 8.1.1.2, que trata da indicação de responsabilidade (autoria) de pessoa física.

 

Autoria

Fonte: https://www.pexels.com/photo/apple-area-author-blue-461444/

 

Agora, a norma expõe que “Quando houver quatro ou mais autores, convém indicar todos. Permite-se que se indique apenas o primeiro, seguido da expressão et al.” (p. 35)

Duas observações importantes são necessárias: as palavras convémpermite-se.

Convém indica que não há obrigatoriedade de indicar todos os autores de um documento. Se um documento citar todos os autores, quando houver quatro ou mais, o mesmo deve ser feito para outros documentos similares.

Permite-se indica a possibilidade de citar apenas o primeiro autor, quando houver quatro ou mais autores, e indicam-se os demais com a expressão et al. Caso apenas o primeiro seja citado, isso deve ser seguido para os documentos semelhantes.

Para exemplificar, apresenta-se abaixo a citação dos exemplos de referências contidos na norma.

NA CITAÇÃO

Urani et al. (1994)

(URANI et al., 1994)

NAS REFERÊNCIAS

URANI, A. et al. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil. Brasília, DF: IPEA, 1994.

 

NA CITAÇÃO

Taylor, Levine, Marcellin-Little e Millis (2008)

(TAYLOR; LEVINE; MARCELLIN-LITTLE; MILLIS, 2008)

NAS REFERÊNCIAS

TAYLOR, Robert.; LEVINE, Denis; MARCELLIN-LITTLE, Denis; MILLIS, Darryl. Reabilitação e fisioterapia prática de pequenos animais. São Paulo: Roca, 2008.

 

Espero que o post tenha respondido mais uma dúvida sobre a nova ABNT NBR 6023:2018.

 

Se você também tem alguma dúvida ou gostaria deixar sua opinião, comente logo abaixo!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Como fazer referência de blog (ABNT NBR 6023:2018)?

BlogFonte: https://pixabay.com/pt/blog-fala-bolhas-49006/

Uma das novidades da ABNT NBR 6023:2018 é a inclusão do tópico 7.20 Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico.

Esse item não existia na versão anterior da norma. Nesse caso, blog era referenciado como site.

Agora, blog recebe um tratamento específico dentro desse tópico, que também inclui bases de dados, listas de discussão, programas de computador, redes sociais, mensagens eletrônicas, entre outros.

Para os itens desse tópico, consideram-se como elementos essenciais autor, título da informação ou serviço ou produto, versão ou edição (se houver), local, data e descrição física do meio eletrônico. A norma também permite incluir elementos complementares para melhor identificar o documento.

Essas informações são encontradas no tópico 7.20, cujo Exemplo 8 desse é a referência de um blog, conforme exemplo abaixo extraído da própria norma.

CID, Rodrigo. Deus: argumentos da impossibilidade e da incompatibilidade: In: CARVALHO, Mário Augusto Queiroz et al. Blog investigação filosófica. Rio de Janeiro, 23 abr. 2011. Disponível em: http://investigacao-filosofica.blogspot.com/search/label/Postagens. Acesso em: 23 ago. 2011.

Esse foi o post de hoje sobre dúvidas dos leitores sobre referências na nova ABNT NBR 6023:2018.

Tem alguma dúvida? Este post te ajudou? Comente!

5 Comentários

Arquivado em Notícias

ABNT NBR 6023:2018 (Referências): o que mudou?

File:Abnt3.jpg

Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Abnt3.jpg

 

No dia 14/11/18, foi publicada a norma ABNT NBR 6023:2018.

Essa norma aborda a elaboração de referências em trabalhos acadêmicos (TCC, dissertação, tese, etc.). A versão anterior era de 2002 e realmente necessitava de  muitos ajustes, principalmente para as versões eletrônicas de documentos.

Assim, o Mundo Bibliotecário quer saber:

Qual sua maior dificuldade na hora de fazer referências conforme a ABNT?

Deixe um comentário que vamos responder com modelos e exemplos a partir da ABNT NBR 6023:2018.

 

14 Comentários

Arquivado em Notícias

Cursos on-line e/ou semipresenciais in-company para autores, editores científicos e equipes editoriais, bibliotecários e demais profissionais da informação, concurseiros e/ou em atividade profissional

01. Herramientas de preservación en DSpace: conversión a XML –  Joel Torres – 30h/30 dias – Cómo facilitar los procesos de preservación digital en DSpace a través del uso de herramientas de conversión desde formatos tradicionales hacia el formato XML

02. Convert2XML: herramienta de conversión a XML JATS integrada a OJS – Araceli Olivo – 30h/30 dias. Herramientas de conversión de documentos desde diversos formatos hacia el formato XML en el proceso editorial de las revistas que operan sobre Open Journal Systems (OJS)

03. Fontes para indexação de periódicos científicos – Prof. Dr. Gildenir Carolino Santos – 30h/30 dias – A indexação determina o volume de citações. Quais procedimentos editoriais deverão ser adotados pelo periódico científico, independentemente da área do conhecimento, para que atenda aos critérios exigidos para indexação em bases de dados, diretórios e portais temáticos, nacionais e internacionais? Onde e como conseguir ser indexado? Otimize a indexação de seu periódico durante curso, com orientação segura do Prof.

04. OJS/SEER: oficina modular na web para editoração de periódicos científicos – Profa. MSc. Suely de Brito Clemente Soares – 30h/30 dias – Capacitar equipes no processo de editoração eletrônica de publicações periódicas. Tirar dúvidas e dar suporte para que publiquem, durante o período da oficina, periódicos eletrônicos em OJS/SEER. Capacitar a atuarem em qualquer um dos papéis do fluxo editorial, da submissão até a publicação, na orientação aos autores, revisão dos originais e outras funções de suporte. Uso de Revista de Testes da Content Mind, na versão 2.4.8.1 Solicite proposta para diagnóstico, sugestões, consultoria para seu periódico e/ou portal de sua instituição. Projetos de publicar versão impressa em OJS/SEER.

05. Oficina on-line sobre atribuição de DOI a periódicos científicos em OJS/SEER – Profa. Doutoranda Claudiane Weber – Monitoria: Profa. MSc. Suely de Brito Clemente Soares – 30h/30 dias – 1 Apresentar os conceitos, requisitos e responsabilidades; 2 Mostrar as vantagens e os custos para implementação [convênio CrossRef/ABEC]; 3 Demonstrar a atribuição do DOI nas publicações científicas; 4 Tirar dúvidas específicas dos participantes do curso

06. Normas ABNT – Informação e Documentação: para pesquisadores, equipes editoriais e bibliotecários – Bibliotecária Profa. Cristina Marchetti Maia – 60h/60 dias – 1 Capacitar interessados no uso correto das principais Normas ABNT – Informação e Documentação; 2 Oferecer farto material instrucional para uso posterior; 3 Orientar e tirar dúvidas de bibliotecários que capacitam usuários das Normas ABNT – Informação e Documentação; 4 Capacitar bibliotecários concurseiros, preparando-os para próximos concursos

07. CVLattes: como criar e manter atualizado? – Modalidade MOOC [gratuito, se preferir sem certificação] Mestrando Prof. Eduardo Graziosi Silva – 30h/30 dias – Teoria e prática de todas as funcionalidades do CVLattes. Criação, manutenção e gestão, destacando a importância no meio acadêmico, capacitando os participantes a utilizarem eficazmente.

08. Pesquisas acadêmicas na web: oficina nível básico – Modalidade MOOC [gratuito, se preferir sem certificação] Profa. MSc. Suely de Brito Clemente Soares – 30h/30 dias – Saber COMO e ONDE recuperar literatura acadêmica na web é imprescindível, tanto para graduandos, pós-graduandos, pesquisadores em geral, bem como bibliotecários, documentalistas, arquivistas, museólogos etc. Curso começa com O QUÊ, passa pelo COMO e termina com dicas ONDE pesquisar na web.

09. Pesquisas acadêmicas na web: oficina nível avançado  [em breve]– Bibliotecária Profa. Cristina Marchetti Maia – 30h/30 dias – 1 Curso teórico-prático para capacitar pesquisadores e bibliotecários (na ativa ou concurseiros) a executarem pesquisas avançadas nas principais bases de dados de acesso restrito e/ou aberto, de qualquer área do conhecimento; 2 O aluno deverá ter, já estruturada e testada, uma estratégia de busca avançada e acesso às principais bases de dados de acesso restrito para efetuar suas pesquisas acadêmicas com supervisão; 3 O aluno deverá ter feito a oficina nível básico, também oferecida pela Content Mind, na modalidade MOOC, ou ser aprovado em um pré-teste para cursar este nível avançado; 4 O bibliotecário não pesquisador poderá utilizar uma estratégia de busca avançada de qualquer pessoa, de qualquer área, para executar as atividades propostas pela oficina; 5 Teoria+prática. WebConferências de tira duvidas

10. Gestão de informação jurídica e apontamentos sobre direito autoral – Profa. MSc. Dayanne da Silva Prudêncio – 30h/30 dias – Compreensão dos conceitos jurídicos e a aquisição de saberes para seleção e avaliação das fontes jurídicas. Capacita para o manuseio das ferramentas e técnicas utilizadas na organização e recuperação da informação de conteúdos jurídicos. Aborda a postura a ser adotada por profissionais de informação no ambiente das organizações jurídicas. Apresenta boas práticas para administração de informação jurídica e exemplifica produtos informacionais que podem ser oferecidos aos usuários de Unidades de Informação Jurídica. Exercícios de fixação para melhor compreensão do conteúdo ministrado.

11. Empreendedorismo e gerenciamento de projetos para profissionais da informação Profa. MSc. Daniela F.A.O. Spudeit 90h/60 dias – Objetiva desenvolver competências relacionadas ao empreendedorismo aplicado ao gerenciamento de projetos de serviços de informação. Para isso, discutiremos o empreendedorismo e as competências empreendedoras, analisaremos o intraempreendedorismo aplicado às unidades de informação, aprenderemos conceitos ligados a ideias, oportunidades, modelos e planos de negócios, conheceremos aspectos relacionados às formas de financiamento, incubadoras, startups e abertura de uma empresa, e, por fim, discutiremos as tendências e metodologias para elaboração e de gerenciamento de projetos na área de informação. Dividido em sete módulos, tem a discussão de cases em fóruns, vídeos, wikis e outros recursos que serão usados para instrumentalizar o bibliotecário para empreender. Tem como produto final a elaboração de um plano de negócios para que o bibliotecário empreenda a partir de uma necessidade real na área de informação.

12. CDD 23. ed. (2011): com exercícios extraídos de concursos públicos Profa. MSc. Adriana Maria de Souza – 30h/30 dias Fornece elementos para o aperfeiçoamento profissional na organização da informação utilizando o Sistema de Classificação Decimal de Dewey – CDD. Apresenta e analisa questões de concursos públicos nas quais foram utilizadas a CDD. Teoria+prática. WebConferências de tira dúvidas.

13. CDU 2. ed. (2004) Padrão Internacional em Língua Portuguesa: com exercícios extraídos de concursos públicos  Profa. MSc. Adriana Maria de Souza – 30h/30 dias – Fornecer elementos para o aperfeiçoamento profissional na organização da informação utilizando a CDU. Apresentar e analisar questões de concursos públicos. Teoria+prática. WebConferências de tira dúvidas.

14. Gestão de Unidades de Informação Profa. MSc. Daniela F.A.O. Spudeit – 90h/60 dias – Dividido em cinco módulos, o curso aborda questões técnico-instrumentais em relação aos princípios e funções administrativas em unidades de informação, gestão de pessoas, gestão de serviços, gestão de marketing e gestão de qualidade em unidades de informação buscando o desenvolvimento das competências do bibliotecário gestor na organização, disseminação e mediação da informação. Curso completo para bibliotecários gestores.

15. Curso completo de Coaching para Profissionais da Informação e áreas afins – em 4 módulos independentes – Profa. MSc. Adriana Maria de Souza – 30h/30 dias por módulo [o primeiro é obrigatório e gratuito para cursar qualquer outro]  Coaching Módulo 1: Apresentando o coaching em Unidades de Informação; Coaching Módulo 2: Coaching no Planejamento de Carreira do Profissional da Informação: novas formas para trilhar o caminho profissional – Coaching Módulo 3Coaching na Gestão e Liderança do Profissional da Informação; Coaching Módulo 4Coaching no Serviço de Referência e Informação: contribuição à equipe de colaboradores

16. Qualidade no atendimento ao cliente: presencial, telefônico e on-line Profa. MSc. Adriana Maria de Souza – 30h/30 dias Conhecer os múltiplos canais de comunicação, síncronos e assíncronos, saber utilizá-los no momento apropriado e manter o controle da comunicação com o cliente (interno/externo), passa a ser um enorme diferencial nas organizações, sejam públicas ou privadas. O atendimento ao cliente é um processo contínuo.

17. Cultura digital: serviços e aplicativos para uso pessoal e profissional: conceitos e práticas Profa. MSc. Suely de Brito Clemente Soares – 30h/30 dias – São conceituados, e praticados entre os participantes, alguns serviços e aplicativos básicos da cultura digital. Todos eles visam otimizar a vida conectada e mobile dos profissionais que têm a informação como matéria prima. Teoria+prática. WebConferências de tira dúvidas.

18. Indexação das fontes de informação jurídica: doutrina, jurisprudência e legislação Profa. Dra. Andréia Gonçalves Silva 90h/60 dias – Aborda conceitos do Direito e das fontes de informação jurídica necessários à organização da documentação jurídica. Apresenta teoria e prática da indexação no que concerne às etapas de análise e síntese documentária. Trabalha com a teoria e princípios da indexação de documentos jurídicos. Treina a prática da leitura documentária e identificação dos conceitos válidos para indexação. Aponta técnicas e métodos para uso e elaboração de sistemas de organização do conhecimento (tesauros e vocabulário controlado) específicos da área jurídica. Destinado a bibliotecários, estagiários e auxiliares que atuam em unidades de informação e documentação jurídica, concurseiros e demais interessados na área.

19. Planejamento, implementação e gestão de Repositórios Digitais utilizando DSpace Bibliotecário Prof. Jorge Luiz Cativo Alauzo – 120h/60 dias – O curso objetiva expor questões sobre o papel das instituições e seus profissionais relativas à preservação, manutenção da memória, acesso e visibilidade de conteúdos em meio digital; permitir que o aluno conheça e elabore instrumentos para formalização da criação de repositórios digitais; expor as principais etapas do planejamento e implementação de um repositório digital; capacitar o aluno a desenvolver competências sobre a gestão do repositório digital com a utilização do DSpace; apresentar casos e experiências do uso do DSpace em instituições nacionais e internacionais

20. Gerenciamento de acervos no séc. XXI: coleções tradicionais e eletrônicas: formação, medição e análises Profa. Dra. Rosane Taruhn – 60h/60 dias – Profissionais com responsabilidades de gerenciamento de coleções atuam nas diversas facetas desse desenvolvimento, que vão desde a seleção até a de-seleção, análises da coleção à preservação, conhecimento do perfil do usuário ao marketing, administração de orçamentos à busca de recursos diversos. E tudo colorido com a oferta de formatos eletrônicos e conteúdo na Web. 1 Proporcionar visão ampliada de gerenciamento de coleções; 2 Medições e análises; 3 Exercícios práticos com propostas dos participantes

21. Catalogação: AACR2, MARC 21 e Controle de Autoridade Prof. Doutorando Fabrício Silva Assumpção – 60h/60 dias – O bibliotecário precisa conhecer e manter-se atualizado em relação aos códigos de catalogação e aos formatos para a representação e o intercâmbio de dados. Curso teórico-prático sobre AACR2 e os Formatos MARC 21 para dados bibliográficos e de autoridade. Inclui questões de concursos e WebConferências de tira dúvidas.

22. Como construir sua presença online e aumentar o impacto da sua pesquisa acadêmica Profa. MSc. Andréa Ferreira Gonçalves do Nascimento – 90h/60 dias – Familiarizar pesquisadores e acadêmicos com as principais ferramentas e ambientes online para a descoberta, colaboração, publicação, disseminação e avaliação da produção acadêmica. Construir sua identidade online. Aprender a usar as redes sociais para promover seus trabalhos e ampliar o alcance de sua produção acadêmica. Entender e participar ativamente de redes sociais de uso acadêmico para aumentar seu círculo de contatos e fomentar a colaboração com outros pesquisadores. Medir e avaliar o impacto online de sua produção acadêmica usando métricas tradicionais e alternativas. Aprender como se comunicar de maneira efetiva no ambiente online, inclusive estratégias para economizar tempo.

23. e-Books para Bibliotecas: uma introdução ao universo dos livros eletrônicos– Profa. MSc. Andréa Ferreira Gonçalves do Nascimento – 90h/60 dias – Formatos de e-books e dispositivos de leitura disponíveis no mercado brasileiro e internacional. Principais modelos para aquisição e assinatura de e-books pela biblioteca. Critérios para avaliação e comparação de coleções eletrônicas e interfaces de acesso. Estratégias para a disseminação e promoção do catálogo de e-books na biblioteca. Tendências futuras na área dos livros eletrônicos nas bibliotecas.

https://www.contentmind.com.br – SKYPE: suelybcs – WhatsApp: 19-99767-1039ou 19-99787-3169 – Fone: 19-3374-6631

Deixe um comentário

Arquivado em Curso

Estudantes criam aplicativo que organiza texto com normas da ABNT

Yguaratã Cerqueira e dois colegas passaram os quatro últimos anos desenvolvendo o FastFormat

Redação iBahia
26/08/2015 20:07:00
Atualizado em 26/08/2015 20:10:39

Após perceberem a dificuldade de aplicar as normas de formatação de textos acadêmicos aos softwares de edição que já existiam, três colegas da pós-graduação em Computação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) viram uma oportunidade. Segundo informações da assessoria de comunicação da Ufal, Yguaratã Cavalcanti, Bruno Melo e Paulo Silveira decidiram criar um aplicativo útil para estudantes e professores de todo o país e passaram os últimos quatro anos desenvolvendo FastFormat, disponível há dois meses de forma gratuita para o público.

Atualmente o software é capaz de facilitar a vida de interessados em produzir artigos de conferência e periódicos, trabalhos de conclusão de curso, monografias, dissertações e teses de quaisquer instituições, que tenham como referência a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Yguaratã Cerqueira relata que já existem mais de mil pessoas utilizando o FastFormat
(Foto: Reprodução)

Ex-aluno de graduação do Instituto de Computação (IC) da Universidade Federal de Alagoas, Yguaratã garante que, com o passar do tempo, as especificidades de cada instituição estão sendo atendidas. Além de universidades, como a Ufal e a Universidade São Paulo (USP), vários periódicos estão sendo contemplados pela iniciativa, como por exemplo, a Revista Acta de Enfermagem, American Psycological Association, e a Sociedade Brasileira de Computação.

 Dentro do programa, o usuário trabalha a partir de modelos prontos, chamados templates, que permitem ao usuário a troca de conteúdo, com apenas alguns cliques. “Também tivemos o cuidado de desenvolver o FastFormat de maneira que o usuário não se sinta preso à nossa solução. O documento produzido pelo FastFormat pode ser exportado para vários outros softwares, como Word, Open Office e LaTeX. Isso é um compromisso que assumimos desde o início”, enfatizou Yguaratã, em entrevista concedida à Ufal.

Serviços em desenvolvimento

O software está temporariamente gratuito para os usuários, mas à medida que ele for sendo desenvolvido, serão estabelecidos preços de acordo com o nível de utilização do usuário. “Estamos constantemente dando manutenção nos templates e inserindo novos. Caso o usuário não encontre um template que satisfaça as suas necessidades, basta solicitar a inclusão de um novo, via funcionalidade do próprio FastFormat. Assim que o template for incluído, o usuário será notificado”, garantiu Yguaratã.

 Ele ainda ressalta que outras melhorias estão sendo previstas, como as funcionalidades de revisão de textos e a possibilidade de criação de templates pelos próprios usuários. “Essa última vai demorar um pouco mais para vir a público, pois existem aspectos que tornam a criação automática de templates bastante complexa”.
Há também planos de fornecer cursos e materiais para ajudar o usuário na produção científica. Por hora, os programadores já disponibilizam um blog, que fornece tutoriais e dicas de escrita científica.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Software gratuito ajuda na formatação de trabalhos acadêmicos

“Monografando” organiza o conteúdo redigido já nos padrões da ABNT

por Geotrac/istockphotoComo se não bastasse a alta qualidade argumentativa e pesquisa refinada necessárias para a fundamentação de um bom trabalho acadêmico, há outra exigência bem específica: a formatação nos padrões da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Em muitos casos, um bocado de tempo é utilizado para conseguir deixar todo o material dentro das normas – e nesses casos tempo é o que mais falta. Entretanto, temos uma dica que pode ajudar bastante.

O “Monografando” é uma ferramenta que permite ao usuário escrever seu trabalho enquanto o mesmo é editado já dentro das regras de formatação. Disponível para download gratuito, o software apresenta interface simples, no estilo formulário, na qual basta preencher os campos requeridos – como nome dos integrantes do gripo, do orientador, capítulos e palavras-chave – e então terminar a montagem básica do trabalho. Depois basta completá-lo com a dissertação.

Vale ressaltar que algumas universidades possuem certas regras próprias de formatação. Ainda assim, o Monografando ajuda bastante no momento de organizar o artigo acadêmico.

Disponível em: <https://catracalivre.com.br/geral/dica-digital/indicacao/software-gratuito-ajuda-na-formatacao-de-trabalhos-academicos/>. Acesso em: 13 jul. 2014.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

TRF entende que normas da ANBT não têm proteção autoral

Por Beatriz Olivon | De São Paulo

 

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região manteve decisão da primeira instância que determinou à Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), juntamente com a União, de se absterem de exigir direitos autorais da Target Engenharia e Consultoria. A 5ª Turma da Corte considerou que o uso das normas técnicas não pode ser negado aos agentes econômicos que se proponham à fabricação e à comercialização industrial.

No processo, a ABNT exige direitos autorais no contexto de serviço público federal, especificamente a metrologia, a normalização e a qualidade industrial.

Em seu voto, o desembargador Antonio Cedenho afirma que a ABNT poderia, no máximo requerer a proteção do trabalho de compilação, sendo o conteúdo científico, as normas técnicas, invulneráveis. “Ainda que se cogitasse de propriedade intelectual, a associação não poderia se apropriar dos direitos correspondentes. Além da inexistência de contrato que a credenciasse como organizadora, muitos dos participantes do procedimento não são associados”, afirmou.

Para Fernanda Beser, advogada do escritório Montaury Pimenta, Machado & Vieira de Mello, a decisão do TRF indica uma possibilidade dada pela Lei do Direito Autoral, pela qual poderia ocorrer a proteção desse direito quanto à organização das normas. “Mas a ABNT não organiza dessa forma e também não requer direito autoral por essa via”, disse.

Cedenho afirmou em seu voto que a menção do nome e da marca da ABNT nos produtos da Target não condiciona o êxito da pretensão formulada. E se houver abuso no exercício da concorrência, caberá à associação pedir o ressarcimento. “Não é possível o reconhecimento de direito autoral, só porque as normas técnicas vêm associadas à identificação do compilador. Compete ao titular da marca de certificação exigir a correspondente remuneração”, julgou.

A Target e a ABNT têm uma relação turbulenta, segundo a advogada da empresa, Michelle Hamuche Costa. Há vários processos envolvendo as duas. Em julgamento recente de um caso semelhante, a 10ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) entendeu que as regras da ABNT não são protegidas pelos direitos autorais. A ação havia sido ajuizada pela Associação, que buscava o pagamento de direitos autorais.

Na interpretação do relator do processo no TJ-SP, Coelho Mendes, as normas técnicas da ABNT são públicas. Concomitantemente, segundo Michelle, a Target apresentou queixa-crime contra os diretores da ABNT, sob alegação de pirataria.

Procurada pelo Valor, a ABNT não se manifestou até o fechamento da edição.

 

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Leia mais em:

http://www.valor.com.br/legislacao/3535702/trf-entende-que-normas-da-anbt-nao-tem-protecao-autoral#ixzz30qG053Rp

Disponível em: <http://www.dci.ufscar.br/news/trf-entende-que-normas-da-anbt-nao-tem-protecao-autoral>. Acesso em: 6 maio 2014.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias