Arquivo da tag: biblioteca

Inscrição da corrida: 5 livros! Crianças participam e coletam 16.500 livros para transformar TREM EM BIBLIOTECA (Yellow Train School?s)

Do site Thehindu.com:

Quando o trem de número 92410 chegar ele já entrou para a história.

Mais de mil pessoas se reuniram no Cosmo Club, Race Course, usando seus babadores de maratona no domingo.  As crianças, os pais e até mesmo os avós se amontoaram conversando sobre ser um corredor de ouro, um corredor amarelo …

Uma placa pendurada em uma árvore já tinha um número: 16.500.

Houve uma excitação palpável no ar quando começaram a cantar,

“Abra um livro e você encontrará pessoas e lugares de todo tipo …”

A corrida

Desde as 5h30 da manhã grupos de corredores e até bebês estavam prontos.

“Não há concorrência. Não nos importa terminar primeiro. Todos estamos correndo para celebrar o nosso bogie preenchendo livros “, diz um grupo de meninas da 8ª série.

A escola iniciou a campanha em todo o mundo e recebeu livros de muitos países.

Em Coimbatore, crianças pediam as pessoas e a seus pais a inscrição da maratona com um mínimo de cinco livros.

“Meu irmão, minha irmã e eu fomos de casa em casa no meu bairro e colecionamos 300 livros”, disse Keshav Sriram, de 11 anos.

Toda a pista de corrida estava cheia de cartazes, slogans e muitos jingles.

As crianças tinham tanto a dizer como os pais. “Meu filho chegou em casa dizendo que haveria uma biblioteca em um trem exatamente como está em Totto Chan: A Little Girl by the Window”.

É tão inspirador ver a escola recriando uma cena de um livro, tornando realidade uma fantasia “, diz Bindhu Lakshmi.

Na maratona, os corredores mais jovens eram apenas três anos. Eles usavam seus babadores e correram um pouco. Então seus pais os pegaram e terminaram a corrida. “Isso é tão emocionante para nós. Queríamos fazer parte desta maravilhosa ideia “, afirmou Sindhya Karthik. Ela está feliz que seu filho pequeno tenha uma biblioteca especial para visitar. “Vamos ver o trem cheio de livros quando terminarmos de correr?”, Perguntou o pequeno.

Santhya Vikram, diretor do Yellow Train, descreve isso como um sonho tornado realidade. “Esta será uma manhã muito especial para os nossos filhos, cujas memórias serão vividas para sempre, contando e recontando para seus filhos e netos – de como um bogie chegou a sua escola uma manhã e se tornou uma biblioteca”.

92410 não é apenas um número mais. É o número do bogie que em breve se tornará a biblioteca especial do Coimbatore.

16.500 e crescendo

A escola coletou 16.500 livros para a biblioteca do Coimbatore através de inscrições para a corrida.

De clássicos como Charles Dickens através de escritores infantis como Enid Blyton e autores contemporâneos como Rick Riordon e Veronica Roth, todos os tipos de livros apareceram. Alguns doaram livros para crianças por autores indianos de editoras independentes.

“Eu dei 38 dos meus livros mais preciosos para a biblioteca, pois queria crianças e outros se beneficiarem da minha coleção”, diz Karuna Guruprasad, um dos pais.

A escola até marcou um dia para “depósito de livros”,e pode-se ver garotos empurrando carrinhos e voluntários estavam estacionados em todos os lugares. As pessoas vieram com malas, caixas e carregavam os carrinhos com livros.

A cada mil livros era foi anunciado com grande farra pela equipe de torcedores.

Quão reconfortante saber que os livros importam para as pessoas, pelo menos, neste canto do mundo!


Não importava mesmo a corrida, disse uma criança. Foto: thehindu.comDisponível em: <http://www.vozdocliente.com.br/noticiario/ler.php/17120027/>. Acesso em: 19 dez. 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

As novas bibliotecas já não são templos

Três projetos internacionais revolucionam a gestão destes centros culturais

Dois jovens leem deitados na Biblioteca 10, em Helsinki (Finlândia).
Dois jovens leem deitados na Biblioteca 10, em Helsinki (Finlândia).

Na Biblioteca 10 de Helsinki é possível ler deitado na rede, fazer negócios, costurar à máquina, dançar, digitalizar formatos obsoletos, como fitas cassete e VHS, tocar guitarra ou tirar uma soneca. É possível fazer praticamente qualquer coisa que jamais se pensaria em fazer em uma biblioteca. E tudo porque seu diretor, Kari Lämsä, pensou que no novo mundo há pouco espaço para as velhas bibliotecas e um espaço enorme para as inovadoras: “Temos de redefinir o papel que desempenhamos. Temos de ajudar as pessoas, ser amigáveis, às vezes somos muito formais e oficiais. Temos de decidir junto com os usuários que materiais adquirimos e do que necessitam. Eu não vejo a biblioteca como uma sala de estar, mas como uma cozinha, onde cada um traz ingredientes e cada dia sai um cardápio diferente”. Eles disseram definitivamente adeus ao depósito de livros.

Lämsä conhece o negócio tradicional: começou colocando livros nas estantes. Mas o que chamou a atenção sobre ele é que se deu conta do futuro. “Tínhamos de mudar a ideia da biblioteca como um espaço passivo. Em vez de desenhar um espaço para se ter acesso a conteúdos, criamos um espaço para criar conteúdos”, explica, antes de apresentar o modelo da Biblioteca 10 a cerca de cinquenta bibliotecários ibero-americanos que participaram no READIMAGINE, seminário organizado pela Casa do Leitor em Matadero, em Madri, com o respaldo da Fundação Bill e Melinda Gates, para abordar projetos de inovação digital relacionados à leitura e aos livros.Lämsä, no entanto, conseguiu atrair essa faixa refratária a um espaço associado ao silêncio. O que o diretor demonstrou é que eles só rechaçam o modelo tradicional. “Cerca de 75% dos usuários vêm para outras coisas que não o empréstimo de materiais. Conseguimos atrair novos perfis, como trabalhadores autônomos, artistas ou artesãos.”

Um concerto na Biblioteca 10 de Helsinki.

Um concerto na Biblioteca 10 de Helsinki.
 ***

PAÍSES DESIGUAIS

Finlândia. Um país de leitores. Tem 5,5 milhões de habitantes e uma biblioteca pública, pelo menos, em cada um de seus 836 municípios. Em Helsinki, a capital, residem 600.000 pessoas, que têm à sua disposição 36 bibliotecas.

Estados Unidos. Há uma rede de mais de 9.000 bibliotecas públicas —chegam a 119.000 se se somarem as escolares, acadêmicas, militares e governamentais— para atender um gigante de 319 milhões de habitantes. Na Califórnia, onde se localiza San José (um milhão de habitantes), contam-se 181 bibliotecas públicas.

Alemanha. Com 82 milhões de habitantes (em Wuerzburg, localidade bávara, vivem 130.000 habitantes), o país tem 7.875 bibliotecas públicas.

Espanha. Há 4.771 bibliotecas públicas (53 estatais, 70 das regiões autônomas e as demais, municipais) para uma população de 46 milhões de habitantes.

***

O sucesso de Lämsä pode ser medido: a biblioteca recebe 2.000 usuários por dia em uma cidade com 600.000 habitantes e 36 bibliotecas. A metade de seus usuários tem entre 25 e 35 anos. É o sonho de qualquer bibliotecário, que observa como os grandes leitores que são as crianças fogem ao crescer. “É uma preocupação de quase todas as bibliotecas, que veem como as crianças deixam de frequentá-las quando chegam à adolescência”, afirma Luis González, diretor geral adjunto da Fundación Germán Sánchez Ruipérez.

Nesta década de vida, obtiveram vários reconhecimentos. O definitivo foi o reconhecimento do Governo da Finlândia, que abrirá em 2018 a nova Biblioteca Nacional seguindo seu modelo, depois de um investimento de cem milhões de euros. Kari Lämsä é um dos 20 bibliotecários emergentes escolhidos pela Fundação Bill e Melinda Gates dentro de seu programa de líderes globais. Nessa lista excelente de visionários que levaram a teoria para a prática, estão também a alemã Anja Flicker e Jill Bourne, considerada uma das 100 mulheres mais influentes do Silicon Valley.

Bourne dirige desde 2013 a biblioteca pública de San José, a décima cidade dos Estados Unidos, onde se concentram as famosas empresas de tecnologia. Em menos de dois anos, ela conseguiu convencer os políticos a aumentarem os fundos municipais para a instituição e as empresas a oferecerem – gratuitamente – seu conhecimento. “As empresas de tecnologia investem em inovação e desenvolvimento, não dão dinheiro, mas nós temos uma reputação e uma confiança do público que nos garante um valor agregado.”

Anja Flicker, Jill Bourne e Kari Lämsä, na Casa do Leitor, em Madri.
Anja Flicker, Jill Bourne e Kari Lämsä, na Casa do Leitor, em Madri. SAMUEL SÁNCHEZ
Depois que engenheiros do eBay desenvolveram gratuitamente um aplicativo para a biblioteca, novas empresas como Microsoft, PayPal e Google estão negociando algum tipo de colaboração. “O reconhecimento da biblioteca pública é um reconhecimento do valor do conhecimento. É preciso fazer os políticos enxergarem que isso é essencial”, defende Bourne, que conseguiu que em junho de 2014 fosse aprovado um imposto específico, pago pelos proprietários de imóveis, para financiar a biblioteca de San José.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Organize a sua biblioteca de arquivos

Conheça cinco sites e aplicativos para você ter a sua estante documentada online

por Ramon Vitral
Editora Globo

Poucos sitesposts e tumblrs são tão compartilhados quanto aqueles destinados à reprodução de estantes repletas de livros – ou games, filmes e quadrinhos. Os dilemas de distribuição por formatos, gêneros, autor ou qualquer outro critério utilizado para a organização de uma estante serão muito mais pessoais no mundo físico. Mas se a ideia é ter um registro virtual de toda sua coleção, há ótimas possibilidades de sites e aplicativos destinados a pessoas obcecadas por registrar suas posses.

GoodReads, por exemplo, permite que você registre todas as suas leituras e troque avaliações sobre cada obra lida. Com mais de 8,5 milhões de membros, o site tem registrados mais de 300 milhões de livros e o cadastro é grátis.

Além de livros, o Libib também permite o cadastro de games, filmes e quadrinhos. O site deixa que você faça o upload das capas da sua coleção caso as obras não estejam cadastradas. Mas antes você pode tentar buscar pelo número do ISBN (o sistema internacional de identificação de livros segundo autor, país e editora).

Já o Shelves permite que você administre sua coleção pelo celular. O aplicativo funciona para quem possui uma estante com livros importados e permite que você liste suas leituras escaneando o código de barras de cada obra.

Library Thing se auto-intitula o maior clube de leitura do mundo. Mais semelhante ao Good Reads, ele também permite troca de opiniões e avaliações de obras. Sua maior vantagem é estar disponível em português. No entanto, a partir de 200 livros é necessário pagar US$ 10 por ano para registro ilimitado de obras. Ou então, se optar por pagar US$ 25, a catalogação será ilimitada enquanto a pessoa quiser fazer uso do site.

Um dos mais interativos e com melhor design, o Delicious Library é exclusivo para Mac e iOS. Reúne e disponibiliza uma imensa quantidade de dados sobre a sua coleção, como número de páginas e o valor estimados da sua biblioteca. Além de possuir alguns extras divertidos: sempre que uma obra do universo de Star Wars é adicionada, o aplicativo exclama a clássica fala de Darth Vader: “Eu sou o seu pai!”. Quando é incluído um livro ou filme da série Harry Potter, é sussurrado o nome do vilão da saga, Voldemort.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Rumos atuais e futuro da conservação no Brasil: homenagem à Guita Mindlin

2 Comentários

2 agosto 2017 · 7:48 am

Universidade Aberta recebe inscrições para curso sobre biblioteca

06.05-Universidade-Aberta

O polo de Novo Hamburgo da Universidade Aberta do Brasil (UAB-NH) está com inscrições abertas para o curso de extensão “A Biblioteca no Cenário Educacional, Cultural e Social e os Atores Protagonistas da Informação e do Conhecimento”. A formação é promovida pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Os interessados devem fazer a inscrição diretamente na UAB-NH (Av. Pedro Adams Filho, 4918 – 2º Andar) até o dia 6 de abril. Mais informações no site polouabnh.weebly.com.

O curso destinado a bibliotecários, professores, auxiliares de biblioteca e pessoas da comunidade em geral, é gratuito e desenvolvido na modalidade de Educação à Distância (EaD). Os candidatos devem ter Ensino Médio completo, noções básicas de informática e acesso à internet. O curso será realizado entre os dias 17 de abril e 14 de maio, totalizando 40 horas de formação. São destinadas 30 vagas ao polo hamburguense.

Universidade Aberta

A UAB é um sistema que visa democratizar o acesso ao ensino superior para a população hamburguense e moradores das cidades vizinhas. Aderido pela Secretaria de Educação (SMED), em 2008, o polo é mantido na cidade pela Prefeitura de Novo Hamburgo e fica na Av. Pedro Adams Filho, 4918, 2º andar, no centro. O telefone de contato é 3593-2043.

Disponível em: <http://novohamburgo.org/site/noticias/educacao/2017/03/29/universidade-aberta-recebe-inscricoes-para-curso-sobre-biblioteca/>. Acesso em: 30 mar. 2017.

3 Comentários

Arquivado em Curso

São Manuel tem exposição de Orquídeas na Biblioteca Municipal

Exposição de Orquídeas na Biblioteca Municipal “Dr. Francisco Câmara Ferreira”

 

Na manhã desta quinta-feira (30), foi inaugurada a Exposição de Orquídeas na Biblioteca Municipal “Dr. Francisco Câmara Ferreira”, dando início às comemorações de aniversário da biblioteca, que celebrará 73 anos de existência no próximo dia 27 de abril.

Mais de 800 unidades entre mudas e plantas florescidas estão expostas no salão central da biblioteca, numa variedade de mais de 400 espécies nativas do Brasil e de países como Chile, Japão e China, cultivadas pelo renomado produtor Edson Zanin, que atua há 18 anos no ramo e já realizou exposições em diversos estados como Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais e norte do Estado de São Paulo.

Entre as espécies expostas na biblioteca há raridades como a Orquídea Negra, originária da selva amazônica, que está envolta em uma lenda indígena que a considera uma planta amaldiçoada. Por este motivo, chegou a ser praticamente extinta, passando ser reproduzida em laboratório. “As orquídeas me surpreendem e me emocionam a cada semana, pois há sempre uma nova descoberta. Para se ter uma idéia, hoje temos catalogadas mais de 4 milhões de espécies e ainda há muitas a serem exploradas. É um universo paralelo, assim como o nosso, infinito”, declara Zanin, que deixou o ramo empresarial para se tornar um especialista em fertilização digital.

Entre os visitantes que foram conferir a mostra estava a dona de casa Érica Vizoni, que herdou desde menina a paixão da avó pelas orquídeas e recebeu dicas de como cuidar melhor das plantas que cultiva em casa. “Para mim elas são muito mais do que belas, são lembranças da minha vida que me marcaram para sempre”, comenta.

A exposição segue até sexta-feira (31), e pode ser visitada durante o horário de funcionamento da biblioteca. “Nosso objetivo é atrair o público dentro da proposta que criamos de “Biblioteca Viva”. Aliás, hoje ela está mais viva do que nunca”, brincou o bibliotecário José Dionisio da Silva.

Serviço

“Exposição de Orquídeas” de Edson Zanin
Dias: 30/03 e 31/03
Local: Biblioteca Municipal “Dr. Francisco Câmara Ferreira”
Endereço: Rua XV de Novembro, nº 226, Centro, São Manuel-SP
Horário de visitação: 8h às 17h
Entrada: Gratuita

Disponível em: <http://www.jcnet.com.br/Regional/2017/03/sao-manuel-tem-exposicao-de-orquideas-na-biblioteca-municipal.html#prettyPhoto&gt;. Acesso em: 30 mar. 2017.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Livros nas Praças registra cerca de 20 mil leitores em 2016

Ônibus-biblioteca rodou São Paulo e Rio de Janeiro incentivando a leitura

Ônibus-biblioteca rodou São Paulo e Rio de Janeiro incentivando a leitura | © Divulgação / Facebook

Ônibus-biblioteca rodou São Paulo e Rio de Janeiro incentivando a leitura | © Divulgação / Facebook

O projeto Livros nas Praças encerrou as atividades da temporada 2016 com um saldo positivo. Com um acervo de dois mil títulos infantis, juvenis e adultos, o projeto teve 19.653 visitantes e um total de 1.633 empréstimos de livros, sendo 1.598 devoluções, o que significa que somente 2,14% dos livros não foram devolvidos. Nas 29 semanas, de abril a dezembro, a biblioteca sobre rodas esteve presente em 14 comunidades e vilas olímpicas do Rio de Janeiro e ainda em dois municípios de São Paulo, circulando pela Bienal Internacional do Livro. Nas visitas, além dos empréstimos e disponibilidade para leitura no ônibus, os visitantes puderam acompanhar apresentações de dança, teatro e bate-papos com escritores e autores. O ônibus vermelho conta também com 60 livros de ilustrações em braile para crianças, livros em fonte ampliada para pessoas com baixa visão, audiobooks para deficientes visuais e 30 livros em braile para adultos. Entre os títulos mais procurados pelas crianças e adolescentes estão: Percy Jackson (Intrínseca), O diário de um Banana (V&R), Harry Potter (Rocco) e Maria Passarinho (Mirabolante). Já os adultos preferem A vida além da vida (Mauad) e Águas para Elefantes (Nossa Cultura).

Disponível em: <http://www.publishnews.com.br/materias/2017/01/24/livros-nas-pracas-registra-cerca-de-20-mil-leitores-em-2016>. Acesso em: 24 jan. 2017.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias