Arquivo da tag: IFLA

Agenda 2030 da ONU e as bibliotecas

No início de agosto, a Organização das Nações Unidas chegou a um consenso sobre a Agenda 2030 — documento que se propõe a nortear os trabalhos da organização em relação à economia, ao ambiente e ao desenvolvimento social para os próximos 15 anos. Além dos países membros, diversas outras organizações da sociedade civil auxiliaram por mais de dois anos na criação e revisão do texto, incluindo a Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Bibliotecas (IFLA).

Não é um plano fácil. E não vai ser só a assinatura do documento que causará as mudanças propostas, como veremos mais abaixo.

Nele, são listados 17 objetivos gerais, e, sob cada um deles, diversos objetivos específicos. É bom frisar que a Agenda tem mais função política do que normativa, e servirá de embasamento para as autoridades nacionais implementarem mudanças num movimento global de melhoria social — cada um com as suas necessidades e prioridades locais.

Também é interessante notar algumas palavras-chave que são repetidas no preâmbulo do texto: extinção da fome, da pobreza, necessidade de paz, consumo e produção sustentáveis, promoção e defesa da igualdade entre gêneros e empoderamento de mulheres e meninas. E as bibliotecas? E os bibliotecários? O que têm com isso?

Segundo a IFLA, em nota oficial, bibliotecas podem servir de apoio para diversos aspectos dos objetivos do documento, pois são instituições públicas chave e têm um papel vital no desenvolvimento de toda a sociedade.

O lançamento oficial da Agenda 2030 ocorrerá em setembro em Nova Iorque e a Federação já se comprometeu a esmiuçar os objetivos que podem ser auxiliados pelas bibliotecas. Colocando o carro na frente dos bois por um momento, li o documento e listei o que eu percebo como atividades que deveriam ocorrer em bibliotecas, especialmente as públicas. Vejamos:

# Objetivo 4, sobre educação e aprendizado contínuo: há menção a melhorar o acesso à informação para crianças, inclusive as com deficiência, indígenas e em vulnerabilidade (objetivo específico 4.5); aumentar a literacia em adultos (objetivo específico 4.6) e melhorar e criar mais ambientes adequados para a educação (inclusive bibliotecas, imagino eu) (objetivo específico 4.a);

# Objetivo 5, sobre políticas para mulheres e meninas: promover o empoderamento feminino através do uso de tecnologias de informação e comunicação (5.b);

# Objetivo 9, sobre infraestrutura, e # Objetivo 11, sobre cidades: aumentar o acesso à internet (9.c) e melhorar a proteção e salvaguarda do patrimônio cultural e natural (11.4);

# Objetivo 10, sobre reduzir a desigualdade: apenas promover a igualdade (social, econômica e política), independentemente de idade, sexo (e gênero, imagino eu), deficiência, raça, etnia, origem, religião, status social ou outro tipo de status (10.2);

# Objetivo 13, aquecimento global: educação e informação sobre mudança climática e para sua redução (13.3);

# Objetivo 16, acesso à justiça: “Garantir o acesso público à informação e proteger liberdades fundamentais em acordo com legislação nacional e acordos internacionais.” (16.10) (no original: “Ensure public access to information and protect fundamental freedoms, in accordance with national legislation and international agreements”). Trago este objetivo específico em texto original, pois ele parece ser o ponto-focal do trabalho pela IFLA, e é mencionado especificamente no seu comunicado oficial.

Ainda, na Agenda 2030 também há menção à criação de uma Força-tarefa para Ciência, Tecnologia e Inovação com a intenção o de garantir o acesso à informação, conhecimento e melhores práticas através de mecanismos de transferência de informação e tecnologia.

Alguns comentários e/ou provocações são necessários.

O primeiro é o seguinte: apesar de haver objetivos sobre educação (sempre genéricos, pois o documento deseja ser o mais abrangente para que cada nação tenha como desenvolver suas prioridades), a IFLA optou por apresentar um objetivo relacionado ao acesso à justiça. Por quê? Por que bibliotecas devem se envolver com acesso à justiça, especificamente, de acordo com a Federação, no que se refere ao acesso à informação?

Também, como se pode ver, todos os objetivos que eu listei — ainda falta a avaliação e pormenorização a ser apresentada pela IFLA — tratam de educação de usuários: literacia, empoderamento através de TICs, educação sobre  os direitos humanos e o ambiente… estamos preparados pra isso? Temos capacidade para isso? Que espécie de atividades uma biblioteca pública pode desenvolver nestes sentidos?

Enfim, o conteúdo do documento é obviamente progressista. Contudo, uma vez que as medidas deverão ser implementadas pelos governos, o primeiro passo não deveria ser fazer a faxina em casa e eleger pessoas (“representantes”, no final das contas) que demonstrem interesses por estas medidas? Do contrário, sim, as recomendações morrem no papel. Depois, é fazer lobby e advocacia para que as medidas sejam implementadas de fato. Simples, apenas!

Disponível em: <http://tci.fernandop.info/?p=649>. Acesso em: 16 ago. 2015.

Deixe um comentário

Arquivado em Reflexões

IFLA – Programa de Webinars para América Latina e Caribe 2014

ifla-logo                                                                   lac

Por mais de três anos a IFLA Continuing Professional Development and Workplace Learning e a IFLA New Professionals Special Interest Group tem oferecido, com muito sucesso, diversos webinars abordando temas de interesse para bibliotecários, associações de bibliotecas, escolas de biblioteconomia, tomadores de decisões e profissionais atuando em bibliotecas. Agora, em parceria com a IFLA Latin American and the Caribbean Section e o Curso de Ciências da Informação e da Documentação e Biblioteconomia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, Campus Ribeirão Preto, tem o prazer de apresentar duas novas séries de webinars em português e espanhol propostos para 2014 visando chegar ao público latino americano e caribenho.

Seguindo nossa tradição de excelência, essa nova série de inclui especialistas de diferentes países apresentando programas de qualidades conforme apresentado a seguir.

Esperamos encontrá-los online, reservem as datas!

 

(1ª série) Direitos de autor e bibliotecas: por que é importante manter-se informado

Assista a uma série de eventos on-line (em espanhol e/ou português) com especialistas e interessados no tema dos direitos autorais, que estarão apresentando uma visão geral sobre a situação da América Latina e Caribe, os últimos acontecimentos e temas da atualidade. Ademais, discutiremos por que é importante aos bibliotecários e profissionais de informação manterem-se informados acerca destes temas tão relevantes para o melhor desenvolvimento de nossas atividades.

Coordenadora das seções: Sueli Mara S.P. Ferreira – IFLA/LAC e USP

Moderadora espanhol: Maria Juliana Soto – Prensa Fundación Karisma, Colombia

Moderador português: José Eduardo Santarem Segundo – Universidade de São Paulo, Brasil

 

3a. feira, 04 de novembro de 2014, 14h*

Palestrante: Alicia Ocaso-Ferreira

Tema: Informação sobre o panorama mundial, com base no trabalho que vem sendo desenvolvido pela IFLA e CLM nos foros mundiais. Relatos, assuntos de interesse e atualizações sobre o Creative Commons e a Wikimedia

Idioma: ESPANHOL

Biografia: Alicia é Presidenta da Asociacion de Bibliotecologos del Uruguay, Membro do Comité de Derechos de Autor y Asuntos Legales (CLM) da IFLA.

 

 4a. feira, 5 de novembro de 2014, 14h*

Palestrante: Claudio Ruiz

Tema: Informação atualizada sobre o panorama atual dos direitos de Autor na América Latina e ultimas tendências

Idioma: ESPANHOL

Biografia: Claudio é Diretor Executivo da ONG Derechos Digitales, Chile. Dirige projetos vinculados a defensa e promoção dos direitos fundamentais envolvidos com a internet, particularmente a liberdade de expressão, direitos de autor e acesso ao conhecimento. Colabora com a IFLA em várias iniciativas internacionais. É profesor diplomado em Propriedade Intelectual.

2a. feira, 10 de novembro, 2014, 14h*

Palestrante: Carolina Rossini

Tema: ABC dos direitos do autor, incluindo propostas de mudanças na LDA (Lei de Direitos de Autor no Brasil) e licenças aberta.

Idioma: PORTUGUES

Biografia: Carolina é Vice Presidenta de Direitos Internacionais e Estratégia na Public Knowledge. Tem mais de 14 anos de experiência em direito internacional, negociações de transações e política, com um enfoque específico para Internet, telecomunicações, propriedade intelectual e os direitos humanos. Também atua como associada ao Global Partners International Digital e como bolsista no New America Foundation Lab-X. Faz parte do advisory boards das seguintes instituições: Alliance for Affordable Internet (Deputy member), Open Knowledge Foundation tanto paramo Reino Unido como para o Brasil, Saylor Foundation nos EUA, Instituto Educadigital e o InternetLab esses dois ultimos no Brasil. Anteriormente, Carolina foi Diretora de Projetos do New America Foundation’s Open Technology Institute, e Diretora de Propriedade Intelectual Internacional no Electronic Frontiers Foundation (EFF), e bolsista no Berkman Center de Harvard University. Antes de se mudar para os EUA em 2007, Carolina trabalhou no Centro de Tecnologia e Sociedade como um coordenador do projeto, e como advogado de ISP da Telefônica no Brasil. Ela tem um LL.M.on IP da Universidade de Boston, um MBA pelo Instituto de Empresas e Mestrado em Negociações Econômicas Internacionais pela UNICAMP / UNESP, e um JD pela Universidade de São Paulo – USP.

 

3a. feira, 11 de novembro, 2014, 14h*

Palestrante: Cristiana Gonçalvez

Tema: O debate internacional do direito de autor e os bibliotecários

Idioma: PORTUGUES

Biografia: Cristiana é pesquisadora sênior e doutoranda em Relações Internacionais na Universidade de São Paulo (USP). Fez mestrado em Sociologia na mesma universidade e trabalhou como pesquisadora nas áreas de direito autoral e privacidade por seis anos no GPOPAI- Grupo de Pesquisa em Política Públicas para o Acesso à Informação da Escola de Artes e Ciências Humanas da USP. Acompanha as negociações em direitos autorais e patentes na Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) como representante da Civil Society Coalition (CSC), uma coalizão internacional de organizações de direitos dos consumidores, de interesse público e de defesa dos países em desenvolvimento. Foi assessora técnica no Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e atualmente compõe a Comissão Brasileira de Direitos Autorais e Acesso Aberto da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Associados (FEBAB)

 4a. feira, 12 de novembro, 2014, 14h*

Palestrante: Sueli Mara Soares Pinto Ferreira

Tema: O direito autor e as publicações em novos formatos

Idioma: PORTUGUES

Biografia: Sueli Ferreira é Professora Titular da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto, orientadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da mesma Universidade. Doutora em Ciências da Comunicação. Diretora do Sistema Integrado de Bibliotecas no período de 2010 a 2013. Membro do Comitê Latino Americano de do Caribe da IFLA (IFLA LAC) e da Comissão Brasileira de Direitos Autorais e Acesso Aberto da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Associados (FEBAB)

 

(2ª série) Tendências Reportadas pela IFLA

As tendências futuras discutidas no Relatório IFLA Ttrends lançado em 2013 são de natureza tal que se alteram continuamente. Bibliotecários de todo o mundo, continuam acompanhando tais tendências e discutindo como elas impactam as bibliotecas e os serviços que oferecem. Nesses webinars, vamos debater as ultimas atualizações apresentadas pela IFLA, em Lyon, 2014.

Coordenadora das seções: Sueli Mara S.P. Ferreira – IFLA/LAC e USP

Moderadora espanhol: Loida Garcia-Febo, Junta de Gobierno de IFLA, CPDWL, NPSIG

Moderador português: Claudiane Weber, UFSM e USP.

 

2a. feira, 17 de novembro, 2014, 14h*

Palestrante: Jesus Lau

Tema: Futuro: uma estrada com muitos caminhos

Idioma: ESPANHOL

Biografia: Ganhador da Medalha IFLA 2014. Bibliotecário de reconhecimento internacional. Diretor de bibliotecas. Pesquisador. Escritor. Professor na área de biblioteconomia. http://jesuslau.com

 

3a. feira, 18 de novembro, 2014, 14h*

Palestrante: Sueli Mara Soares Pinto Ferreira

Tema: Tendências e mudanças no ambiente informacional.

Idioma: PORTUGUES

Biografia: Sueli Ferreira é Professora Titular da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto, orientadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da mesma Universidade. Doutora em Ciências da Comunicação. Diretora do Sistema Integrado de Bibliotecas no período de 2010 a 2013. Membro do Comitê Latino Americano de do Caribe da IFLA (IFLA LAC) e da Comissão Brasileira de Direitos Autorais e Acesso Aberto da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Associados (FEBAB).

INSCRIÇÃO: Não é necessário inscrição antecipada, ela será feita durante o evento para aqueles que necessitarem de certificados de participação. Orientações sobre tal procedimento serão fornecidas durante o webinar.

————————–

ACESSO: Os participantes poderão assistir os eventos no link:http://iptv.usp.br/portal/transmissao/iflalac

Todas as sessões terão a duração de UMA hora, logo após as apresentações serão dedicados 20 minutos para perguntas e comentários dos participantes, as quais poderão ser enviadas, durante todo o evento, para o email: iflalac.webinar@gmail.com

—————————————

*IMPORTANTE:

– Os horários aqui marcados correspondem a Brasilia.

– Verifique o horário em outras localidades da América Latina em: http://www.timeanddate.com/worldclock/custom.html?continent=samerica

– Horários ao redor do mundo: http://www.timeanddate.com/worldclock/

—————————————-

Perguntas e pedido de informação com as coordenadoras das séries:

Loida Garcia-Febo – loidagarciafebo@gmail.com

Sueli Mara S. P. Ferreira – sueli.ferreira@gmail.com

 

Equipe de trabalho:

Loida Garcia-Febo, Junta de Govierno de IFLA, IFLA CPDWL, NPSIG

Sueli Mara Ferreira, IFLA LAC e FFCLRP/USP

José Eduardo Santarem Segundo, FFCLRP/USP

Sigrid Karin Weiss Dutra, Presidenta IFLA LAC

Silvia Cecilia Anselmi, Secretaria IFLA LAC

Ruth Helena Vallejo, IFLA LAC

Juanita Jara de Sumar, IFLA CPDWL

Disponível em: <http://blogs.ifla.org/lac/2014/10/programa-de-webinars-para-america-latina-e-caribe-2014/>. Acesso em: 28 out. 2014.

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos

Webinar IFLA "Conexão global entre novos bibliotecários: melhores práticas, modelos e recomendações"

Caros leitores do Mundo Bibliotecário,

amanhã será realizado o primeiro webinar virtual promovido pela IFLA, cujas informações estão disponíveis em http://www.ifla.org/node/6141. Será realizado no Brasil as 5:00 p.m. Os webinares são eventos trimestrais (janeiro, abril, julho e outubro) e este ano contarão com os seguintes conferencistas:

Donna Scheeder, conferencista magistral e presidenta eleita da IFLA, subdiretora de informação do Serviço de Investigação do Congresso, Biblioteca do Congresso de EUA. Tema: Preparados para a mudança.

Ellen Broad, gerente de projetos e políticas digitais da IFLA. Tema: Informe sobre as Tendencias da IFLA. http://trends.ifla.org/

Jaap van de Geer, fundador e diretor de DOKLAB. Tema: As tendências digitais e as bibliotecas. http://www.thisweekinlibraries.com/ ou http://www.doklab.nl/en

As informações foram retiradas de mensagem recebida na lista de discussão da CBBU.

Até lá!

Eduardo.

3 Comentários

Arquivado em Eventos

Webinar IFLA “Conexão global entre novos bibliotecários: melhores práticas, modelos e recomendações”

Caros leitores do Mundo Bibliotecário,

amanhã será realizado o primeiro webinar virtual promovido pela IFLA, cujas informações estão disponíveis em http://www.ifla.org/node/6141. Será realizado no Brasil as 5:00 p.m. Os webinares são eventos trimestrais (janeiro, abril, julho e outubro) e este ano contarão com os seguintes conferencistas:

Donna Scheeder, conferencista magistral e presidenta eleita da IFLA, subdiretora de informação do Serviço de Investigação do Congresso, Biblioteca do Congresso de EUA. Tema: Preparados para a mudança.

Ellen Broad, gerente de projetos e políticas digitais da IFLA. Tema: Informe sobre as Tendencias da IFLA. http://trends.ifla.org/

Jaap van de Geer, fundador e diretor de DOKLAB. Tema: As tendências digitais e as bibliotecas. http://www.thisweekinlibraries.com/ ou http://www.doklab.nl/en

As informações foram retiradas de mensagem recebida na lista de discussão da CBBU.

Até lá!

Eduardo.

3 Comentários

Arquivado em Eventos

Discussões internacionais sobre as exceções e limitações dos direitos autorais para bibliotecas e arquivos recomeçam hoje

Hoje, no terceiro dia de negociações da 26 ª reunião do Comitê Permanente dos Direitos Autorais e Direitos Relacionados (SCCR) na sede da OMPI em Genebra, discussões sobre exceções e limitações dos direitos autorais para bibliotecas e arquivos estão em andamento.

Um certo número de países, incluindo o Brasil, Tunísia , Irã, Guatemala , Trinidad e Tobago e Índia já tomaram a palavra para expressar seu apoio a um instrumento internacional juridicamente vinculativo em favor de bibliotecas e arquivos.

Bibliotecas e arquivos de todo o mundo estão fortemente representadas, com a IFLA acompanhado por EIFL, o Conselho Internacional de Arquivos, a Associação Bibliotecária Canadense, a Associação Bibliotecária Alemã, a Sociedade Americana de Arquivistas e a Fundação Karisma (Colômbia). Estas organizações se uniram para produzir uma breve introdução ao seu trabalho de advocacia na OMPI, e por que isso é importante.

Nós encorajamos você a baixar esta introdução e compartilhá-la com seus colegas.

Agora, delegações de bibliotecas e arquivos na OMPI estão tomando a palavra para apresentar as suas opiniões sobre a necessidade de preservar as funções essenciais das bibliotecas e arquivos de todo o mundo, habilitados pelas leis de direitos autorais.

Vamos mantê-lo atualizado durante toda a semana.

Disponível em: <http://www.ifla.org/node/8239>. Acesso em: 18 dez. 2013.

***

Além da introdução citada acima, vale a pena consultar o “Documento de trabalho com comentários e sugestões para um instrumento jurídico internacional apropriado (em qualquer forma) sobre as excepções e limitações para bibliotecas e arquivos”, pois podemos acompanhar as discussões realizadas pelo Brasil e acredito que também enviar sugestões pelas nossas instituições profissionais.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Encerramento do Congresso da IFLA 2013

Infelizmente não pude cobrir o Congresso da IFLA 2013 como gostaria, mas fica registrado meu agradecimento pela divulgação do Mundo Bibliotecário no IFLA Express. É uma oportunidade única e muito gratificante para trazer ao conhecimento dos bibliotecários brasileiros um pouco do que está sendo discutindo no maior evento da área. Thank you, IFLA!

Localizei os álbuns de fotos das sessões no Flickr da IFLA.

Considerando os vazamentos de documentos de governos e outras questões atuais relacionadas ao acesso à informação, também encontrei o site do Committee on Freedom of Access to Information and Freedom of Expression (FAIFE), que discute também a liberdade de expressão e intelectual.

Dentre as premiações e homenagens do evento, fica o destaque para o pôster The Librarians of Fukushima.

Enfim, como disse no início, uma oportunidade ímpar! Que venha o 80º da IFLA congresso em Lion!

Deixe um comentário

Arquivado em Eventos, Notícias

O Congresso da IFLA 2013 continua…

Procurando pela hashtag wlic2013 no Twitter, localizei os links abaixo que acredito que merecem ser compartilhados pela atualidade dos temas.

1) Princípios da IFLA para empréstimo eletrônico

Segue a produção do documento de base da IFLA sobre empréstimo eletrônico do Conselho Diretivo da IFLA encarregado do Grupo de Trabalho de empréstimo eletrônico com o desenvolvimento de um conjunto de princípios que poderiam orientar os profissionais de bibliotecas a lidar com o complicado processo de negociação de licenças de e-book com editoras e revendedores.

2) Declaração da IFLA sobre Bibliotecas e Desenvolvimento

O acesso à informação é um direito humano fundamental que pode quebrar o ciclo de pobreza e apoiar o desenvolvimento sustentável. A biblioteca é o único lugar em muitas comunidades onde as pessoas podem acessar informações que ajudarão a melhorar sua educação, desenvolver novas habilidades, encontrar empregos, construir negócios, tomar decisões agrícolas e de saúde, ou obter insights sobre as questões ambientais. Seu papel original faz das bibliotecas importantes parceiros de desenvolvimento, fornecendo acesso à informação em todos os formatos e pela prestação de serviços e programas que atendam às necessidades de informação em uma sociedade em mudança e cada vez mais complexa.

Como as Nações Unidas se movem para estabelecer um quadro pós-2015 para orientar o desenvolvimento em todo o mundo, IFLA convida todos os interessados ​​a reconhecer que as bibliotecas, em qualquer parte do mundo, pode ser mecanismos confiáveis ​​para sustentar a execução de programas de desenvolvimento sustentável. A IFLA afirma que:

As bibliotecas proporcionam oportunidades para todos
As bibliotecas capacitam as pessoas para o seu próprio auto-desenvolvimento
As bibliotecas oferecem acesso ao conhecimento do mundo
Os bibliotecários fornecem orientação especializada
As bibliotecas são parte de uma sociedade interessada em vários assuntos
As bibliotecas devem ser reconhecidas nos quadros da política de desenvolvimento

3) Relatório de tendências da IFLA
A partir de 2012 a IFLA tem trabalhado com um vasto leque de especialistas e interessados ​​de diferentes disciplinas (cientistas sociais, economistas, líderes empresariais, especialistas em educação, especialistas jurídicos e técnicos) para ajudar a identificar as tendências sociais de alto nível que afetarão nosso futuro ambiente de informação.

2 Comentários

Arquivado em Eventos, Notícias