Arquivo da tag: livro

3 livros sobre bibliotecas e a biblioteconomia | Karin Paredes

Biblioteca – Luis Milanesi https://amzn.to/2vXB5Uz

Biblioteca – Lizandra Estabel e Eliane Moro https://amzn.to/2PnHaSq

Introdução à Teoria Geral da Biblioteconomia – Ronaldo Vieira https://amzn.to/2BqfHN0

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Notícias

Descubra como catalogar filmes, séries, podcasts e livros na internet

Precisando de uma ajudinha para colocar em ordem o conteúdo que você consume? Com esses apps, você controla os filmes e séries que já viu, os podcasts que escuta e os livros que já leu!

Por Redação Vivo Tech09/07/2018 às 17:19

Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Notícias

Startup cria aplicativo para pais e filhos contarem histórias

O Inventeca ajuda o desenvolvimento da linguagem de crianças por meio da contação de suas próprias histórias
© Carlos Pupo

© Carlos Pupo
A  StoryMax, startup publicadora de app books – livros digitais interativos para tablets e smartphones – focados no público jovem lançou seu 10º aplicativo, o Inventeca. O aplicativo reproduz a experiência de leitura de livros de imagem para leitores de todas as idades e convida crianças a usarem a criatividade para imaginar as narrativas. Pais e mediadores podem também deixar histórias narradas prontas para serem ouvidas mesmo quando não estiverem presentes, diminuindo distâncias impostas por rotinas modernas. Até o momento, o Inventeca traz duas histórias ilustradas que cada leitor poderá navegar enquanto cria uma narrativa oral e a deixa gravada para compartilhar no seu aparelho. Outras histórias serão comercializadas em breve. O aplicativo está disponível para iOS e Android
PUBLISHNEWS, REDAÇÃO, 07/08/2018

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Conheça a biblioterapia e como a leitura pode combater a ansiedade

Muitos recorrem à leitura para desligar-se do mundo real e conhecer outros universos, mas o que a maioria dos “devoradores de livros” não sabe, é que a função da leitura vai muito além do deleite pessoal. Isso porque, hoje em dia, a prática literária já é utilizada no tratamento de problemas psicológicos. A origem dessa técnica, ainda pouco difundida no Brasil, é histórica. “Os egípcios, gregos e romanos já compreendiam a leitura como um remédio eficaz para o tratamento das dores da alma. Em 1272, os hospitais orientavam a seus pacientes a leitura do alcorão. E mesmo posteriormente, durante a Primeira Guerra Mundial, a biblioterapia ajudou a amenizar os traumas sofridos pelos soldados que participaram do confronto”, explica a biblioteconomista Isabel Cristina Venere, de 47 anos, que defendeu tese sobre o assunto.

A ampliação da percepção e da sensação de independência e a redução de medos e ansiedades são apenas alguns dos benefícios proporcionados pela biblioterapia. “A leitura age no equilíbrio emocional dos indivíduos, levando-os ao relaxamento extremo e estimulando a memória, sem falar que sua prática proporciona benefícios a todas as faixas etárias”, reitera a especialista.

A coordenadora de eventos, Regiane Rodrigues Rossini, de 46 anos, começou a ler frequentemente ainda jovem e logo descobriu o potencial terapêutico da leitura.
“Em agosto de 2012 sofri um derrame pulmonar e fiquei sem poder andar muito por algum tempo. Nesse período, como não podia fazer exercícios físicos, comecei a participar de um clube de leitura. Além de fazer novas amizades, o clube ampliou meus horizontes literários e, aos poucos, fui voltando às minhas atividades normais”, afirma, ressaltando o quão prazerosa pode ser a prática.

Efeitos
Os efeitos da biblioterapia se devem à imersão proporcionada pela literatura. “O ser humano acaba tendo um envolvimento emocional com o texto, aplicando o que lê a sua própria vida, é uma espécie de catarse literária”, acrescenta a biblioteconomista. Mas o simples ato de ler não corresponde à pratica da biblioterapia. “É algo bem mais complexo, uma vez que o material utilizado sempre é escolhido por uma equipe de profissionais, que estudam a situação de cada paciente”, frisa Isabel.

Ainda que sua eficácia seja comprovada, a biblioterapia não substitui nenhum tratamento médico. De acordo com o psicólogo Jefferson Willian Bucci, a biblioterapia é uma prática auxiliar. “Não se trata de uma prática psicológica, mas sim de uma terapia complementar, que pode auxiliar na solução dos problema da mesma forma que a prática de esportes, ou a acupuntura, por exemplo, portanto, não dispensa outros tratamentos de forma alguma”, esclarece.

A coordenadora de eventos Regiane Rossini conta que superou problemas pessoais com a prática da leitura (Foto: Rui Carlos)

A coordenadora de eventos Regiane Rossini conta que superou problemas pessoais com a prática da leitura (Foto: Rui Carlos)

Fonte: Portal Jornal Jundiaí

Disponível em: <http://www.crb8.org.br/conheca-a-biblioterapia-e-como-a-leitura-pode-combater-a-ansiedade/>. Acesso em: 18 jun. 2018.

2 Comentários

Arquivado em Notícias

53 manuais para conservação de livros

O projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos, em 1997, publicou 53 títulos sobre a conservação preventiva de livros e documentos, de filmesfotografias e meios magnéticos na forma de 24 cadernos temáticos em formato A4.

Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Notícias

Inscrição da corrida: 5 livros! Crianças participam e coletam 16.500 livros para transformar TREM EM BIBLIOTECA (Yellow Train School?s)

Do site Thehindu.com:

Quando o trem de número 92410 chegar ele já entrou para a história.

Mais de mil pessoas se reuniram no Cosmo Club, Race Course, usando seus babadores de maratona no domingo.  As crianças, os pais e até mesmo os avós se amontoaram conversando sobre ser um corredor de ouro, um corredor amarelo …

Uma placa pendurada em uma árvore já tinha um número: 16.500.

Houve uma excitação palpável no ar quando começaram a cantar,

“Abra um livro e você encontrará pessoas e lugares de todo tipo …”

A corrida

Desde as 5h30 da manhã grupos de corredores e até bebês estavam prontos.

“Não há concorrência. Não nos importa terminar primeiro. Todos estamos correndo para celebrar o nosso bogie preenchendo livros “, diz um grupo de meninas da 8ª série.

A escola iniciou a campanha em todo o mundo e recebeu livros de muitos países.

Em Coimbatore, crianças pediam as pessoas e a seus pais a inscrição da maratona com um mínimo de cinco livros.

“Meu irmão, minha irmã e eu fomos de casa em casa no meu bairro e colecionamos 300 livros”, disse Keshav Sriram, de 11 anos.

Toda a pista de corrida estava cheia de cartazes, slogans e muitos jingles.

As crianças tinham tanto a dizer como os pais. “Meu filho chegou em casa dizendo que haveria uma biblioteca em um trem exatamente como está em Totto Chan: A Little Girl by the Window”.

É tão inspirador ver a escola recriando uma cena de um livro, tornando realidade uma fantasia “, diz Bindhu Lakshmi.

Na maratona, os corredores mais jovens eram apenas três anos. Eles usavam seus babadores e correram um pouco. Então seus pais os pegaram e terminaram a corrida. “Isso é tão emocionante para nós. Queríamos fazer parte desta maravilhosa ideia “, afirmou Sindhya Karthik. Ela está feliz que seu filho pequeno tenha uma biblioteca especial para visitar. “Vamos ver o trem cheio de livros quando terminarmos de correr?”, Perguntou o pequeno.

Santhya Vikram, diretor do Yellow Train, descreve isso como um sonho tornado realidade. “Esta será uma manhã muito especial para os nossos filhos, cujas memórias serão vividas para sempre, contando e recontando para seus filhos e netos – de como um bogie chegou a sua escola uma manhã e se tornou uma biblioteca”.

92410 não é apenas um número mais. É o número do bogie que em breve se tornará a biblioteca especial do Coimbatore.

16.500 e crescendo

A escola coletou 16.500 livros para a biblioteca do Coimbatore através de inscrições para a corrida.

De clássicos como Charles Dickens através de escritores infantis como Enid Blyton e autores contemporâneos como Rick Riordon e Veronica Roth, todos os tipos de livros apareceram. Alguns doaram livros para crianças por autores indianos de editoras independentes.

“Eu dei 38 dos meus livros mais preciosos para a biblioteca, pois queria crianças e outros se beneficiarem da minha coleção”, diz Karuna Guruprasad, um dos pais.

A escola até marcou um dia para “depósito de livros”,e pode-se ver garotos empurrando carrinhos e voluntários estavam estacionados em todos os lugares. As pessoas vieram com malas, caixas e carregavam os carrinhos com livros.

A cada mil livros era foi anunciado com grande farra pela equipe de torcedores.

Quão reconfortante saber que os livros importam para as pessoas, pelo menos, neste canto do mundo!


Não importava mesmo a corrida, disse uma criança. Foto: thehindu.comDisponível em: <http://www.vozdocliente.com.br/noticiario/ler.php/17120027/>. Acesso em: 19 dez. 2017.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Bibliotecária rejeita doação de livros de Melania Trump a escola nos EUA

Bibliotecária rejeita doação de livros de Melania Trump a escola nos EUA

Primeira-dama enviou conjunto com 10 volumes para uma instituição de cada estado

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, fala durante um debate na Casa Branca, em Washington – MANDEL NGAN / AFP
 WASHINGTON — A bibliotecária de uma escola de ensino fundamental no estado americano de Massachusetts rejeitou a doação de uma coleção de livros oferecida pela primeira-dama dos EUA, Melania Trump. No começo deste mês, Melania enviou 10 exemplares de livros para uma escola de cada estado para celebrar o Dia Nacional da Leitura. A Casa Branca disse que trabalhou em conjunto com o Departamento de Educação para identificar escolas com programas que alcançaram os padrões máximos de excelência.
Porém, em um blog, a bibliotecária da escola Cambridgeport Liz Phipps Soeiro afirmou que a instituição não precisava dos livros:”Trabalho num distrito em que há muitos recursos, que contribuem diretamente para a excelência. Meus estudantes têm acesso a uma biblioteca com mais de 9 mil volumes.”, ela escreveu, acrescentando que a Casa Branca deveria focar em apoiar escolas que não têm recursos. “Por que não dar livros para escolas sem recursos em comunidades sem privilégios que continuam a ser marginalizadas pelas políticas impostas pela secretária de Educação, Betsy DeVos?”A cidade de Cambridge, onde a escola Cambridgeport fica, é próxima a Boston e é lar de duas universidades renomadas, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e a Universidade Harvard. De acordo com a imprensa local, as escolas públicas da região disseram em um comunicado que a bibliotecária não foi autorizada a rejeitar os livros doados.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias